Eu estou em um relacionamento, mas eu amo alguém

Relacionamentos são tão complicados

2020.11.26 06:54 Normal_bitch Relacionamentos são tão complicados

Me sinto tão cansada, a meses tive alguns problemas com meu namorado que deixaram estressada a ponto de perder cabelo e peso. Depois de um tempo isso parou e eu tentei seguir em frente, perdoar, me sentir melhor, e não consegui, sinto que estou cada vez mais deprimida por isso é outras coisas na vida.
Sinto tanta raiva e rancor de tudo que aconteceu, sinto que não sou valorizada, e acho que nem é por ele não tentar valorizar é só que EU não consigo sentir que ele valoriza oque passei com ele e por ele, tudo que eu penso é em torno dele, eu amo ele, mas eu guardo esse sentimento ruim, que me corrói por dentro.
Eu amo ele, não queria me sentir assim, queria ter seguido em frente como eu fiz todas as vezes que ele me machucou e eu simplesmente não consigo, eu não tenho vontade de falar com ele direito, ou de beijar, geralmente abraçar eu gosto bastante, mas minha libido foi assassinada depois disso (desconfio também que é por conta do anticoncepcional, mas antes dessas brigas eu tinha desejos sexuais normalmente), não tenho vontade de transar com meu próprio namorado, e eu só queria que esse rancor fosse embora.
Eu nunca me senti assim, eu não quero terminar, eu só queria sentir como me sentia antes, sem essa mágoa, que eu não posso falar para ninguém, desabafar para ninguém.
Eu só quero que alguém me ouça, mas ele não pode me ouvir, vai parecer que estou culpando ele, machucando ele, afinal é muito difícil pra ele ter que ouvir sobre como me machucou, meus amigos não vão passar horas me ouvindo reclamar, minha mãe já não se interessaria e riria da minha cara, mesmo se posto em algum lugar tem pouca repercussão, e no fundo eu só queria alguém pra me ouvir, alguma atenção, pois me sinto extremamente sozinha.
Me sinto sozinha de uma maneira que não senti antes, mesmo com pessoas a minha volta me sinto em um quarto vazio.
Evito pensar, passo meus dias com a cabeça cheia de ar, para não pensar em nada, pois se pensar começo a sentir uma angústia.
As vezes sinto que vou ficar louca igual minha avó, as vezes chego a desejar um pouco isso, só pra ter um gosto de liberdade, me importo tanto com aquilo que os outros pensam que mal sei quem sou, sinto que estou definhando dentro de mim mesma, porém por fora estou bem.
O post acabou nem sendo sobre o relacionamento, mas foda se, o sub é pra isso mesmo, isso que eu acho incrível, da pra soltar qualquer merda aqui (dentro das regras obviamente), da pra fazer poema, falar coisas sem nexo. No meu caso só falo sobre meu relacionamento de merda, pois minha vida é tão vazia que não tem mais nada, e aquilo que tinha eu guardo fundo, pois se eu por pra fora vai ser pior.
submitted by Normal_bitch to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 01:08 bombarril Ruim com ela, pior sem ela

TL;DR: terminei hoje, eis aqui um longo desabafo.
Hoje de tarde pedi um tempo para minha então namorada. Nossa relação estava me fazendo mal, e os momentos bons eram tão raros que não compensavam o esforço. Mas como me dói... Eu ainda amo aquela menina, e sei que ela realmente estava tentando ser uma boa namorada para mim, só que eu não acho que ela possa simplesmente mudar o jeito dela, nem acho que isso seja correto.
Eu sinto falta de quando a gente era amigo. Tudo era tão mais fácil... A gente se via, comia junto, dava risada, assistia um filme. Depois disso, íamos cada um pra sua casa, sem compromissos, sem discussões. Só coisa boa. Começamos a namorar e começam as expectativas um do outro. Eu nem sei se eu pedia demais, sabe? O que me motivou a pedir um tempo foi a falta de interesse dela.
Eu sei que ela tem seus compromissos, e que o pai dela é um pé no saco, mas poxa, já estamos há 20 dias sem se ver, e moramos perto. Eu também tenho meus compromissos, e conseguia sempre arranjar um espacinho para acomodar algum encontro ocasional. Eu propunha encontros sempre, sempre. Na amizade a gente se via umas 3 vezes por semana. Começamos a namorar e passamos a nos ver aos fins de semana. Depois só de domingo. Estamos há algum tempo nos vendo domingo sim, domingo não. E pra mim isso simplesmente não dá. E quando a gente finalmente se vê, ela age tão distante... Ela não segura minha mão nem me beija. Se eu ganhar um selinho é muito. E mesmo que eu só abraçasse ela pelo resto da minha vida, por mim isso não seria problema, sabe?
Eu me sinto... descartável. Toda vez que eu planejo um encontro e ela me fala uma das 3 clássicas, eu fico bem mal.
  1. Estou ocupada
  2. Meu pai não deixa
  3. Não quero
E ela? Tanto faz. Ela mesmo me disse isso uma vez. Não fazia diferença se ela me visse ou não. Ela estava contente apenas trocando mensagens. A gente praticamente webnamora, embora moremos na mesma cidade e sejamos maiores de idade. Ela é um amorzinho por mensagens, responde rápido e a qualquer hora, sempre dizendo que me ama e que me quer na sua vida. Mas ela fala uma coisa e age de outro jeito... Sei lá. Peço pra fazer call e parece que eu tô pedindo o cu dela. Sempre um sacrifício pra ela fazer qualquer coisa. Convido ela para jogar o jogo favorito dela, pq eu tô com saudades, e ela várias vezes me diz q n ta a fim ou q tem mais oq fazer. Daí em questão de 1h eu vejo e ela ta la jogando solo q. Ah, mas vsf. Eu valorizo demais o tempo q eu passo com ela, seja oq for. Pra vc ter uma ideia, eu já fui até em velório pra outra cidade com ela. Odiei, foi péssimo, mas eu fui pq era com ela. A companhia dela me motivou. Agora ela? KKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Uma vez eu tava NA RUA DELA, e falei:
"Amor, tá em casa?"
"Tô, pq?"
"Tô aqui em frente kkkkk. Vem aqui"
"Não posso"
"Como assim?"
"Tô ocupada agora, não vou sair aí"
Eu chorei. Estava morrendo de saudades. Eu sou meio trouxa, eu admito.
Sei que ela era fiel. O problema real dela é a depressão. Ela sofre com isso desde a amizade, e eu sempre fiz meu melhor pra ajudar ela com isso. Sei que provavelmente seria bom pra ela que eu continuasse vivendo este relacionamento, mas honestamente, pra mim não dá mais. Choro quase todo dia, passo um puta nervoso, pq ela simplesmente se isola de mim e de todo mundo. Preferia ainda ser o amigo dela. Ser seu namorado tem sido desgastante.
Enfim, pedi um tempo pra ela hj de tarde, após mendigar pela terceira vez no dia se eu poderia ver ela. De manhã, ela disse q n sabia, q ia ver. No almoço, disse que faria faxina e q só se fosse mais tarde. Daí fim de tarde ela me diz q nem fez faxina, e que n ta fazendo nd, mas q a gente n ia se ver msm. Isso a gente estando há VINTE dias sem se ver. Daí eu tiltei. De modo educado, claro.
"Sério. Pra mim não dá mais. Não aguento mais esse sufoco pra simplesmente ver a sua cara. Eu quero um tempo."
A resposta dela?
"Tudo bem, eu compreendo. O que quer que você ache melhor para vc"
Não nos bloqueamos nem nada. Só não nos conversamos, e planejo tratar ela como uma conhecida por algum tempo, enquanto eu organizo minha cabeça, e ela a dela.
O que eu realmente espero com isso é que ela mude de ideia sobre tudo, e comece a me valorizar. Mas eu n acho q isso vá acontecer. Acho q acabaremos n voltando mais.
O que me dói, honestamente. Sei que todo mundo deve dizer isso, mas é minha primeira namorada e eu n consigo imaginar outra pessoa em seu lugar. Eu vou provavelmente procurar alguém muito similar, e comparar essa pessoa à minha ex. Eu simplesmente amo ela, conheço tudo dela, sei de tudo que ela gosta e de que ela não gosta. Sei dos podres, dos problemas, dos medos. E ela os meus.
Caras, aiai. Eu amo ela como eu amo minha irmã, como eu amaria uma filha. Eu quero tanto ela bem, puta merda. Eu tô mto dividido, queria que ela fosse diferente. É só... Mas é tão difícil...
Antes fosse só ela o problema. O pai dela me detesta por várias e várias razões. Eu tenho que ouvir as abobrinhas dele toda vez que cogito algo que ele não aprove, além do que ele já critica meu jeito e minhas atitudes. Ele me culpa por tanta coisa que eu nem tenho nada a ver...
Queria nunca ter pedido ela em namoro, gente. Acho que é isso. Sinto falta da minha amiga, e da minha paz de espírito.
submitted by bombarril to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 14:03 Russo664 Ser emocionalmente a "garota" da relação é uma coisa ruim? kkk

Eu vi isso em um post, até comentei lá mas quis fazer o meu próprio. Atualmente eu não namoro, e eu venho crescendo e aprendendo muito sobre mim, se algum dia calhar de acontecer, sinto que estou preparado comigo mesmo pra isso.
(Tenham amor por si mesmos! vai te fazer entender muita coisa e sua forma de se sentir com os outros vai ser bem menos dolorosa.)
Mas sobre ser uma "garota" em um relacionamento, eu quero dizer o esteriótipo, ser amoroso demais sabe? Minha personalidade é toda assim, sentimental, eu não escondo meus sentimentos, eu gosto de ser amoroso e mostrar o quanto de amor eu tenho, e eu me amo justamente por ser assim, foi dessa forma que eu me encontrei, e sinceramente, se a pessoa não gostar disso, eu tô fora, não quero ser nada além de mim mesmo com alguém que eu queira amar.
Eu não conheci muitas pessoas que fossem assim, e gostaria de conhecer! Com uma personalidade mais sentimental só foram alguns amigos gays e algumas amigas em geral. a sim, e eu sou hétero
bom dia pro cês!
submitted by Russo664 to desabafos [link] [comments]


2020.11.11 16:56 No_Monk_7246 Relacionamento

Eu sou nova aqui, queria desabafar e ouvir pessoas que passaram pelo mesmo problema :(
Eu estou em um relacionamento faz mais ou menos 4 anos, nós terminamos em setembro do ano passado e reatamos este ano, em fevereiro. Fui eu quem terminou a relação porque eu já estava doente de cúmes por ele e não via mais sentido me relacionar com alguém em quem eu não conseguia confiar. A desconfiança começou logo no inicio do namoro, ele sempre teve várias amigas e conversava com elas como se não namorasse e para piorar nós tivemos que manter a relação por mais ou menos 2 anos à distância então eu ficava muito insegura pensando que ele poderia não estar me levando tão a sério como eu estava levando a relação... Eu sempre senti que ele me amava mas eu sempre coloquei em minha cabeça que ele deveria amar somente eu e qualquer outra pessoa no ambito de amizade que ele amasse era traição, então foi seguindo desta forma nossa relação. Até que um dia uma menina da sala dele começou a seguir ele nas redes sociais e eu acabei vendo isso, e ela mandou mensagem puxando assunto sobre um trabalho da faculdade que eles fizeram em grupo eu li toda a mensagem não tinha nada demais da parte dele, mas ela estava com intenção de algo. Eu fiquei super chateada pedi para ele excluir a pessoa das redes sociais e ele não quis, eu terminei com ele e mesmo assim ele manteve firme a ideia de não excluir ela, isso me machucou muito porque me tirou a pouca confiança que eu tinha nele. Enfim, terminei e ele depois de uns dias viu que era sério e acabou fazendo a minha vontade, reatamos uns dias depois... Apesar de toda essa historia ter um fim e tal eu não conseguia mais sentir confiança em nada do que ele fazia, nada mesmo. Até que se passou um ano e eu resolvi terminar de forma definitiva ''do nada'' falei que não queria mais que não estava legal eu estava traumatizada, etc... Ele veio atrás de mim mas eu realmente decidi que abandonaria o barco, conheci outra pessoa e ele conheceu várias outras, inclusive ficou e tudo mais, fez novas amizades etc. Passaram 6 meses mais ou menos ele terminou a faculdade e nós voltamos a nos falar e resolvemos reatar, morarmos juntos... Eu estava feliz, apesar de infernizar ele algumas vezes com desconfianças porque ainda não recuperei ela 100% mas todas eram coisas pequenas e eu sei que eram, hoje vejo que deveria ter agido de outra maneira... Porém, recentemente entrei no instragram dele e li uma conversa de junho deste ano em que estamos juntos, com uma amiga que tratava de assunto de trabalho e neste assunto ela agradeceu ele por ter ajudado ela e falou ''te pago um sorvete depois da pandemia'' e ele respondeu ''combinado'' com um coração do lado, isso me quebrou as pernas porque em nenhum momento ele disse que estava namorando ou qualquer coisa parecida, conversamos sobre isso e ele falou que era só amizade e não entra na minha cabeça. Enfim, se alguém leu isso até o fim, parabéns rsrsrs, queria que alguém me desse uma luz eu não confio mais nele isso é fato, mas ainda amo muito, eu acho que depois dessa conversa que eu li me sinto como quando ele não queria remover aquela menina das redes sociais, eu estou prestes a terminar e conhecer alguém que não me submeta a esse tipo de situação..., o que vcs fariam?
submitted by No_Monk_7246 to desabafos [link] [comments]


2020.11.10 19:38 POL4RGTS uma menina disse que estava apaixonada por mim

estou repostando, aparentemente não posso dizer as idades
olá, isso aconteceu em novembro... (vou copiar as mensagens e colar aqui)
recebi uma mensagem de uma menina, nela dizia mais ou menos isso “a maria (nome fictício) gosta muito de você”. fiquei surpreso e não acreditei muito, fiquei conversando com ela sobre isso e fui tentar entender.
mandei mensagem para a maria (conversamos um pouco a muito tempo atrás, nada de mais) e mandei o print que a amiga dela tinha me mandado, ela mandou “👉🏻👈🏻” so isso, pedi para ela me explicar, “então, O que os olhos vêem coração sente”. (fiquei tipo??????)
no dia seguinte ela mandou “Eu realmente te amo, mas ok se você não sente nada”. mandei um bom dia e perguntei como ela tinha tanta certeza, a final não tínhamos conversado muito, “Não sei comecei a gostar de tu, Eu sei que a gente converso pouco, mas tu foi muito simpatico comigo” falei que não tinha sentido, e que estava meio bugado.
no mesmo dia conversamos mais um pouco e ela diz “Ninguem mando ser bonitu”, então eu disse “não sou bonitu, e se fosse você só estaria apaixonada pela minha “beleza”, não pela minha personalidade”.
então ela disse que a amiga dela me “aprovou” e que iria fazer de tudo para ficarmos juntos, eu disse que moramos em estados diferentes, e que ela só tem tantos anos (eu tenho tantos anos ), tentei explicar que não iria dar certo, fazendo de tudo para não magoá-la. ela disse que eu “prestava”, perguntei como ela sabe, ela respondeu “Status, Você gosta de gatos, Se gosta de gatos, eu tenho 5 miau miaus”, ( meio sem sentido)
pedi desculpas e disse que não iria dar certo porque sou muito mais velho e moramos em estados diferentes.
fiquei conversando com ela depois disso, a final não queria deixar ela “sofrendo” calada, então conversei normalmente. fui parando de mandar mensagens, porque não queria iludir e nem magoar ela, deixei bem claro que não acredito em relacionamento à distância, falei que ela é incrível, linda, fofa e que vai achar alguém bem melhor que eu, e que mora perto dela, é tudo uma questão de tempo.
ela sumia e mandava mensagens do nada, respondia normal e ela nunca prosseguia a conversa.
se passou um bom tempo e recebo uma solicitação de amizade dela, aceitei e no dia seguinte mandei mensagem, pensei que ela não tinha me esquecido e não queria fazer ela sofrer. conversamos normal nesse dia, no dia seguinte ninguém mandou mensagem, e ela sumia e mandava mensagem do nada, respondia normal mas não prolongava a conversa.
se passou um bom tempo que ficamos sem conversar, ontem perguntei a ela se o suposto sentimento tinha acabado, ela disse que sim. então apaguei o número dela e exclui ela do facebook, porque se ela já me “amou” seria ruim ficar vendo coisas minhas na internet.
tentei resumir o máximo possível
e é isso, ficou muito confuso né? kkkk
menor ki treix <3
submitted by POL4RGTS to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 04:48 repdominato Tenho tido brigas constantes com uma das pessoas mais importantes da minha vida e agora me sinto perdida.

Olá todo mundo que está lendo esse meu desabafo, fico feliz por vocês terem clicado aqui parar ler o meu drama, então:
Tudo começou no começo de 2020, quando eu conheci um garoto por uma live que eu assistia, até aí tudo bem, viramos muito amigos e uns meses depois eu comecei a gostar dele, não contei por puro medo de levar um webfora, daí uns dias depois ele me diz que está namorando com uma menina (que logo se descobriria trans, não é uma informação tão necessária mas enfim), conheci ela e viramos amigas, eu achava ela super legal, mas eu ainda gostava do meu amigo. uns meses depois eles terminaram, ele me contou e eu fiquei bem triste, dei todo o apoio a ele e sempre tentava ajudar ele a superar o término, até que um dia nós dois estávamos conversando e eu acabei contando que gostava dele a um tempo, ele ficou em choque e perguntou a quanto tempo eu gostava dele, respondi que desde o começo do ano, ou seja, antes dele começar a namorar a menina lá, ele disse que achava que era difícil pra mim viver com eles dois namorando mesmo com eu gostando dele (não, foi super fácil amigo, foi super fácil), ele não falou nada sobre os seus sentimentos em relação a mim, também não perguntei para não incomodar, mas, uma semana depois ele me pediu em namoro, e ainda pediu pra que eu pensasse bem e desse a resposta em uma semana. eu pensei em falar sim na hora, mas como ele pediu, eu pensei mais e uma semana depois eu aceitei, foi tudo muito bom, foi tudo muito lindo, eu amava ele, parecia que estava vivendo um sonho, foi o melhor relacionamento que eu já tive até hoje, até que eu terminei com ele uns meses depois pois eu estava com medo de que acontecesse o mesmo que aconteceu no meu antigo relacionamento (meu relacionamento antes desse cara foi simplismemte um inferno, o cara era um possessivo ciumento nojento que não podia ver eu falando com alguém que já ia tirar satisfação comigo ou com a pessoa na qual eu estava conversando, era horrível e ele fazia eu me sentir um lixo), ele aceitou deboa, mas, um dia euu vou falar com ele sobre um problema e vejo o contato dele sem a foto, mandei mensagem e só foi um negócinho como se ele estivesse sem internet ou o celular estivesse desligado, fui tentar falar com ele no twitter e apareceu a mensagem de que eu estava impossibilitada de seguir ele, foi no discord e não vi o perfil dele lá, o cara simplismemte me bloqueou em TODAS as minhas redes sociais, depois disso a minha vida virou um inferno e tudo ficou insuportável: minha insônia piorou, eu chorava TODOS os dias, não conseguia dormir preocupada com oq tinha acontecido, tinha crises de ansiedade por causa disso, como eu disse, um inferno. um mês depois ele me desbloqueia e me manda mensagem pedindo desculpa, dizendo que era pra me esquecer, eu aceitei as desculpas pq eu sou burra e pq eu amava ele (na verdade, ainda amo ele depois de tudo isso, sou burra sim ou claro??) nós continuamos amigos depois disso, mas eu não me sentia tão bem falando com ele, me sentia mal e esquisita, depois disso nós passamos a ter brigas constantes por motivos extremamente bobos e fúteis, e eu chorava em TODAS as vezes em que nós brigávamos pq me sentia culpada, eu sinto que estou perdendo ele, eu amo muito ele e ele é extremamente especial pra mim, eu não quero perder alguém tão especial assim, eu PRECISO de ajuda em relação a isso e esse subreddit foi a única forma de pedir ajuda que eu encontrei. por favor me ajudem, eu me sinto extremamente perdida em relação a isso e não sei mais o que fazer.
submitted by repdominato to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 04:30 spiritofmnemoth Me apaixonei pela minha melhor amiga, e a dor é quase insuportável.

Nós somos amigos desde que começamos a faculdade, há quase três anos. Nos aproximamos por ambos terem estado um pouco deslocados do resto da turma no começo do curso, não entramos em uma turma logo de cara, na semana de acolhimento, como todo mundo, e fomos ficando cada vez mais próximos, sentando juntos, fazendo trabalhos, andando de ônibus pra casa, tudo. Nós formamos a nossa própria turminha dos excluídos, eu, ela e mais um menino e uma menina, todos nós somos muito amigos. Mas a minha amizade com ela é MUITO forte, nós nos apoiamos nos momentos difíceis, e conversamos sobre absolutamente tudo. Na primeira vez que eu fiquei com um menino, a primeira pessoa pra quem eu contei foi ela. Quando eu briguei feio com meu pai e tive que sair de casa, foi no colo dela que eu chorei feito um bebê a noite inteira. No ano passado, quando ela teve que fazer uma cirurgia por conta de um problema nos ovários, quem estava lá por ela era eu e a mãe dela. Ela é uma das pessoas mais incríveis que eu conheço, a amizade dela é talvez a melhor coisa da minha vida. Eu sinto que o meu sentimento por ela foi crescendo devagarinho, só agora dando pra eu perceber que o amor que eu sinto não é apenas fraterno. Eu não acredito nessa divisão entre "gostar como amigo" e "gostar", porque não a sinto com relação a ela, eu a amo de todas as maneiras possíveis e imagináveis.
Sexualmente, nós somos muito diferentes. Eu sou bissexual, e tenho sérios problemas de autoimagem e autoestima, que me levam à promiscuidade e a comportamentos autodestrutivos. É verdade, eu já fiz sexo com várias pessoas, mas não me sinto nem um pouco completo por isso, foram vários relacionamentos curtos, problemáticos e vazios, que não contribuíram em nada pra minha vida. Já ela é assexual, nunca esteve num relacionamento, é virgem, diz que nunca sequer beijou alguém. O meu coração quase sai pela boca sempre que eu a vejo, e fica acelerado quando eu estou perto dela, até mesmo ela já reparou nisso. Dói demais ter a certeza de que ela não me enxerga da mesma maneira que eu a enxergo. Eu nunca vou me abrir com ela sobre isso, porque não quero perder sua amizade de jeito nenhum, ela vale a pena, eu não sou próximo a ela apenas por ter "segundas intenções", e estou disposto a engolir os meus sentimentos se isso significa que eu posso ter sua amizade. Só escrevi isso pra que não ficasse só dentro da minha cabeça, obrigado a quem tomou o tempo de ler. Boa noite a todos.
submitted by spiritofmnemoth to desabafos [link] [comments]


2020.11.08 14:15 AdministrationOne540 Minha esposa não sente vontade de transar... ajuda

Então, estou casado há 6 anos (quase 7) e temos uma filha de 2 anos. Temos um ótimo relacionamento e somos muito felizes juntos.
Desde o início do relacionamento, minha esposa não curte muito falar de sexo ou transar. Ja conversamos muito sobre isso e até fomos numa psicóloga, mas acontece que minha esposa não tem libido mesmo. Na maioria das vezes que transamos, ela goza algumas vezes e depois de um tempo simplesmente "desliga", fica lá imóvel esperando eu terminar o trabalho. Apesar de eu fazer bastante oral nela, ela raramente faz em mim. Ejaculação em outros lugares que não na vagina, nem pensar! Ela é bem travada em relação a sexo (não somos religiosos, caso isso passe pela sua cabeça haha).
Nos conhecemos bastante, já tentamos brinquedinhos e até anal, mas sexo só rola uma ou duas vezes por mês no máximo e com bastante tempo nas preliminares.
O problema é que eu gosto muito de sexo. Muito mesmo, penso em putaria o dia todo e me masturbo quase todos os dias. Sempre tento algo diferente no sexo para que ela se mostre mais animada e interessada. Importante dizer, mesmo gostanto muito e fazendo pouco, nunca traí minha esposa, acho esse o pior crime que alguém pode cometer.
Ela diz que até gosta de transar, mas simplesmente não tem vontade. Não é problema de atração, ela até tem ciúmes de mim e diz que me acha bonito. Ela não tem problemas com lubrificação ou dor, e sempre goza de verdade (da pra sentir ela "piscando" na hora H) quando fazemos sexo. Ela diz que não entende porque eu gosto tanto disso, pra ela é como qualquer outra coisa na vida. Pra mim é especial, é relaxante, é um tesão.
Não tem problema, eu amo ela e não vou forçar ela a fazer algo contra a vontade dela. Em todo esse tempo que estivemos juntos, nunca fizemos nada que ela não estivesse a fim. Quando ela não quer e eu estou muito durasso, espero um tempo, vou no banheiro e uso o pornhub pra me ajudar. Ela sabe disso.
O problema é que eu to cansado da masturbação. Não consigo mais ficar nessa todos os dias. O pior de tudo é saber que minha esposa está ali e não está a fim de transar. Fico pensando que tem algo errado comigo ou com meu corpo. Se ela diz que gosta de transar, porque não tem vontade? Ja fiz um teste um tempo atrás, e se eu não procurar por sexo, ela não procura. Ficamos sem transar quase 3 meses, e o comportamento dela não mudou em nada! Também ja pensei que ela pudesse estar me traindo, mas (eu sei que isso é errado) já clonei as redes sociais e whatsapp dela e não vi nada errado lá. Ela trabalha com os pais dela, todos no escritório são meio parentes e se alguém desconfiasse de alguma coisa, iria me avisar. Sou bastante próximo da família dela.
Preciso da opinião de vocês: o que vocês fariam nessa situação? não sei se quero tomar remédios que baixem minha vontade de transar, e não sei se ela toparia tomar um remédio que a deixe com vontade. Conversas não adiantam, já falamos muito disso e ela simplesmente diz que não tem vontade. Odeio pensar em traição, como dito acima, acho isso horrível, mas nos últimos dias essa ideia tem me passado pela cabeça. Afinal, o que fazer? Como saciar a vontade sexual sem se masturbar e sem sexo com a esposa?
TL;DR: Minha esposa não curte transar e eu penso em putaria o dia todo. Conversar não adianta. O que fazer?
PS* Não penso em terminar o relacionamento. Apesar da falta de sexo, eu amo minha esposa e não imagino minha filha sendo criada longe de mim.
submitted by AdministrationOne540 to sexualidade [link] [comments]


2020.11.03 20:29 Thecryboy Esses dias tenho me sentido esquecido pela minha namorada.

Esses dias eu tenho ficado chateado com as atitudes da minha namorada, porque a gente está conversando e do nada ela para de conversar comigo pra conversar com outra pessoa, tipo não estou dizendo que ela não pode ter amigos, estou dizendo que ela literalmente me esquece totalmente quando está conversando com eles, parece que fingi que eu nem existo, e eu odeio essa sensação, e o problema é que quando converso com ela sobre isso ela fica toda brava, dizendo que eu não estou nem ai pra ela, dizendo que não pode nem mais ter amigos pra conversar, sendo que isso não é verdade, eu sempre digo que se não quer conversar comigo, diga vou conversar com tal, mas nem isso ela faz, parece que esses dias ela vem andado muito chateada comigo, mas sem motivo nenhum, até pensei em terminar por causa disso, porque está realmente levando pra um nível onde literalmente ela está conversando comigo, e quando o amigo dela está online ela manda mensagem pra ele e para totalmente de falar comigo, não sei o que eu faço, eu até tenho um pouco de receio de falar, a se você prefere conversar com ele namora com ele então e me esquece de vez, mas eu não quero perder ela, isso está levando em um nível onde eu não estou aguentando mais essa sensação, não sei se termino, não sei se converso, não sei oque fazer, tipo o nosso relacionamento é muito bom, muito bom mesmo a gente se entende completamente, quase não tem brigas somos totalmente abertos um para o outro, mas parece que esses dias ela realmente tem me esquecido, parece que ela só vem conversar comigo quando ela não tem ninguém pra conversar, literalmente eu sou a ultima opção, e esses dias quando as vezes me abro pra ela dizendo que hoje não estou muito bem, ela pergunta porque, ai eu digo o porque, e ela fala mds e vai conversar com os amigos dela, porra eu fico muito puto com isso, ela diz que eu que não ligo pra ela, sendo que é ela que não liga pra mim, isso aconteceu hoje mesmo ela mandou mds, ai eu mandei na lata perguntando se ela liga pros meus sentimentos, e ela disse que liga, só não da pra demonstrar, ai eu falei na minha cabeça karalho resolveu oque, ai depois ela que vem querendo controlar quem eu posso ser amigo ou não, dizendo a eu não gosto desse cara acho que ele que está te deixando triste, a esse cara ai e muito cuzão gosto dele não, ela nem conhece como que ela vai saber, ai ainda pelo menos manda a vou jogar com tal e nem me chama, ai depois de ter jogado manda a vou entrar só de noite, ai entra 1 hora da manhã, toda fofa se fazendo de coitada, conversa comigo por uns 30 minutos e fala que vai dormir, tipo se ela não está confortável namorando comigo se ela não quer mais, eu aceito só não gosto que fique me arrastando dizendo que me ama e que se importa comigo, sendo que quando tem esses tais amigos dela, ela me esquece me deixa no limbo, ai quando eu estou triste querendo que ela me console, ela diz a não sei nem como fazer isso, e me esquece e vai conversar com os amigos, tipo não creio que eu esteja sufocando ela, até porque sempre fui muito tranquilo enquanto a isso, sempre disse que se ela não quer conversar comigo na hora, não tem problema converse com quem você quiser, mas esses dias parece que ela tem realmente me esquecido e eu não gosto dessa sensação, é uma sensação horrível, e ainda vem dizendo a sua vida nem é tão difícil assim, sendo que ela não viveu na minha pele pra saber se realmente é difícil ou não, as vezes eu até tento me abrir, mas parece que ela não liga, e também ela diz que as vezes não se abre comigo, porque eu não vou ligar sendo que ela está totalmente enganada, não sei como prosseguir isso, acho que vou acabar e pronto, não quero ficar com alguém que nem ligar pros meus sentimentos liga, assim as vezes me da vontade até de chorar por causa disso, e eu sou muito difícil de chorar, odeio quando as pessoas me ignoram, principalmente quando é uma pessoa importante pra mim, que diz que me ama, que diz que se importa comigo, mas as vezes parece que ela não está nem ai pra mim, me trata como se eu fosse um qualquer, que ela conheceu agora, que não sabe nem o nome, e o pior eu pergunto eu sou oque você quer da sua vida, você perdeu o interesse em mim, e ela diz eu quero você sim pra minha vida, só acho que você que não sabe oque quer, eu não perdi o interesse em você, porra isso me fode, ela diz que eu que não sei oque quero, sendo que é ela que não sabe, e ainda me chama de hipócrita dizendo que a você faz as coisas que fala que são erradas, não se coloca no lugar dos outros, sendo que é ela que não se coloca, tipo isso acontece só quando a gente briga na maioria acho que 95% do tempo, é só alegria, é só paz, quando ela "tira um tempo" pra conversar comigo, a gente conversa muito sobre nossa relação, conversamos sobre planos, até planejamos em um dia termos filhos, uma casa própria, mas isso não vai acontecer se ela não quiser, eu as vezes quando ela quer brigar por motivo quase que nenhum, eu falo não vou brigar com você, se um não quer dois não brigam, ai ela vem a dois não brigam seu idiota, ai fica putinha e para de falar comigo, ai depois volta, a desculpa por ontem não vai acontecer mais, eu vou melhorar, só que para falar a verdade nunca senti que melhorou, nossa são muitos sentimentos pra um só texto meu deus, tipo eu amo minha namorada, e sei que ela me ama também mas as vezes sinto que não. Só mais um desabafo sobre a vida mesmo, quem não tem problemas que atire a primeira pedra não é mesmo.
submitted by Thecryboy to desabafos [link] [comments]


2020.11.03 14:07 get_out_N3 Como controlar meu ciúme?

Bom dia, pessoal. Vou usar um pouco do anonimato pra pedir a ajuda de vocês, já que esse é um assunto que eu evito conversar até com amigos pra não parecer ciumento, obsessivo ou malucão mesmo. ​ Eu namoro há 1 ano, amo minha namorada e quero realmente ter um relacionamento duradouro com ela, se possível, para toda a vida . A questão é que, à medida em que o relacionamento foi se tornando mais sério, eu fui adquirindo uma desconfiança e ciúme enormes em relação a ela. Ela nunca me deu motivos para isso, ao contrário, é uma pessoa bem tranquila, mas coisas bobas despertam isso daí em mim. ​ As vezes eu sinto como se a seriedade que o relacionamento vem adquirindo trouxesse mais responsabilidades pra mim, sabe? Eu cheguei a observar que antes de conhecer família dela, ou mesmo de assumir uma postura mais "séria" de namorado, eu não tinha absolutamente nenhum ciúme dela, confiava 100%. Hoje eu sinto como se qualquer erro que ela eventualmente cometa possa afetar minha honra, sei lá. Sinto que ela não me diz 100% a verdade, e que ela queria levar um vida diferente com outra pessoa e está comigo por pena, penso que por eu ser ciumento, ela mente, já que sabe que eu vou ficar chateado por besteira, fico, as vezes, enojado ao pensar em coisas que ela possa ter feito ou que já fez (algumas ela já contou) no passado, e que, ela não tenha me contado tudo. Isso me atormenta de uma forma excruciante, talvez eu só esteja querendo achar um problema onde não existe mas, eu sinto que nem sempre tá tudo bem, que ela é infeliz comigo, e eu sou bastante inseguro em relação a minha aparência, e a tudo em relação a mim ​ As vezes temos problemas por conta que eu tenho ciúmes em relação a fotos que ela posta, já fico com medo dos futuros comentários que alguém possa fazer, fico com raiva de qualquer menção que ela possa fazer a algum cara, fico com medo dela achar outras pessoas mais bonitas que eu. Quando nos conhecemos ela era fan de umas bandas de garotos coreanos e de alguns atores, ela falava pra mim coisas sobre eles e sobre o que ela queria fazer com eles, nesse ponto éramos só amigos, eu no começo não tinha ciúme, mas depois, esses comentários dela sobre esses caras, destruriam a imagem que eu tinha dela sobre ela ser um pessoa confiável, não a culpo por fazer isso, e sei que ela não falou por mal, mas mesmo assim, aquelas coisas que ela disse nunca mais saíram da minha cabeça, penso que ela pode ainda gostar daqueles caras e que ela ainda tenha pensamentos sujos em relação a eles, fora outras histórias que ela me contou, algumas mentiras que ela já me disse, que me fazem cada vez mais ser desconfiado e destruir a imagem de pessoa confiante que eu tenho dela e isso, nunca sai da minha cabeça, me mata por dentro e me faz ter uma raiva dela, que eu sei que não deveria, mas o sentimento vem e me avassala. Quando fico com ciúmes, tento não brigar nem nada, mas eu mudo instantaneamente eu e ela ficamos muito tempo juntos, e não consigo esconder que estou com ciúmes, sou um pessoa bastante expressiva, logo ela sabe o que sinto só de olhar. Temos um relacionamento muito bom, somos muito amigos, mas essa vibe de ciúme parte de mim e vem tirando minha paz e a tranquilidade dela, e sinto que pode estragar nossa relação de verdade.
submitted by get_out_N3 to desabafos [link] [comments]


2020.10.29 10:18 nofimnaime Palavras Somente.

Eu não aguento mais conversar comigo mesmo, e como não tenho mais pessoas para isso, essa é a melhor solução. Minha vida só desanda, e desde 2017 eu não consigo segurar as pontas, tive perdas que até hoje me doem, e escolhas nas quais eu me arrependo toda a noite antes de dormir. Consegui afastar esses pesos algumas vezes durante esse tempo, mas ele volta com mais carga, cargas atuais, e isso sempre vem a calhar na semana do meu aniversário. Mas esse peso não é a dor que quase me fez ser atropelado no meu aniversário ou a entrar em pânico na frente de um mercado. Uns meses atrás conheci uma pessoa, e eu naquele momento só queria sair com alguém, aproveitar uma nova amizade e ter aquele lance casual, era só isso, eu estava no meu canto escuro do quarto, já acostumado com esse peso no meu peito, e não queria mais dor de cabeça. E infelizmente eu conheci ela, eu não dava nada pra aquela desgraçada, as mensagens trocadas porém, me fez sentir algo por ela, aquele tipo de sensação "Ok, quero ser seu amigo", e desse jeito eu descobri que ela também não estava bem, tinha acabado de sair de um relacionamento complicado de 5 anos (3 anos de namoro, mas já sofria por 5 anos), e eu botei aquilo na minha cabeça, só queria ter uma pessoa pra conversar, conviver e aproveitar tudo que dava, e depois de uma longa espera de dois dias de conversa, resolvemos se encontrar, morávamos perto do outro, na qual no meio do caminho tinha um parque, perfeito meio termo para ambos, e quando eu vi ela, tudo que eu tinha montado sobre ela mudou. Aquele mesmo sentimento que você olha e admira aquela pessoa no trem, acha tudo incrível e pensa "e se...", o diferencial mesmo foi já conhecer ela, e a cada detalhe, conversa e risadas daquele dia, eu tive a infelicidade de nutrir um sentimento por ela... Não demorou muito para as coisas rolar entre a gente, tínhamos um entrosamento perfeito, e estávamos lá, indo pra minha casa no nosso primeiro encontro, e o que eu achei disso? Eu realmente tinha me apaixonado pelo brilho do olhar dela, o sorriso dela me trazia pás e a voz dela me acalmava, era tudo que eu queria até o momento, chegando lá ela me explicou que o ex relacionamento dela ainda pesava naquele momento, lógico que eu me desapontei um pouco, mas era apenas uma apaixonisse de momento, dava para reverter, e fiz o que tinha que fazer, falei que não iria servir de ponte para ninguém superar ninguém, acabou que ela dormiu na minha casa... Foi uma das melhores noites da minha vida? CLARO PORRA, E AINDA ELA FOI A PROTAGONISTA DE UMA DAS CENAS MAIS MEMORÁVEIS DA MINHA VIDA. No outro dia, conversamos ainda mais, e na dúvida que eu estava, esperei pelo movimento dela, pra mim tudo é um jogo, cada detalhe e ação conta, e o turno dela foi pedir um Uber pra minha casa, pra passar outra noite comigo, e ela estava incrivelmente linda... maquiada com uma delicadeza... vestido que abraçava a arte corporal dela... e a boca que porta o melhor dos sorrisos...
Foi nesse momento que eu cometi o maior erro de todos, depois de uma noite incrível (outra), eu falei que queria ela pro resto da minha vida, ela ainda estava afetada pela outra, mas o coração dela já sentia alguma coisa por mim, além do relacionamento passado dela, tinha a minha ex...
E então eu entro no meu primeiro inferno.
Sim, é isso mesmo que você está pensando, 4 dias de conversa e eu já estava pedindo ela em namoro, eu não conhecia ela direito, e muito menos ela me conhecia, só que aqueles momentos foram ótimos, e foram por bastante tempos, mesmo com autos e baixos, só que cada vez que ela deitava no meu peito, e a gente conversava fica mais nítido que os dois se amava, e saiu dela, o primeiro "te amo", na qual terei a dor de nunca esquecer, e foi assim que depois de 6 dias de conhecer ela, resolvemos entrar em um relacionamento, depois dela ter completado um mês de sair do dela, e eu de ter tentado incontáveis vezes de retorna com minha ex. Aliás, minha ex... todos nós temos problemas, e o problema dela sempre foi se depender demais de mim, morávamos juntos, e depois de perceber que a gente não daria certo, terminei e voltei pra casa, porém ela era destruída psicologicamente, uma vontade de suicídio constante, e eu tinha medo de isso se torna uma realidade, mesmo terminando com ela, a moça nunca deixou de ter minha importância, antes de sermos namorados, eramos amigos, e isso não acabou, sempre vou me importar com ela, como a grande amiga que ela é. E nossa protagonista não entendia isso, até tentou compreender a gente guardar por um tempo, mas ela queria nos anunciar para o mundo... E no começo eu não entendia o "pra que?" só tentava explica que isso poderia acabar com a vida de uma pessoa, e depois de uma semana nisso, se encontrando todos os dias com ela, resolvi conversar com minha ex. Expliquei pra ela o que estava acontecendo, e que eu tinha encontrado outra pessoa, que não queria perder o contato dela, sendo ela uma das pessoas mais importantes da minha vida, acabou que minha ex entendeu, e ficou ressentida, ela sentia muita coisa, e queria voltar... mas ela seguiu o caminho dela e me deu apoio, ela simplesmente me queria feliz, era só eu correr pro abraço da minha então amada e vocês teriam lido o começo de uma linda história de amor...
E então eu senti pela primeira vez a chama silenciosa do primeiro inferno.
A pessoa cujo eu já chamava de "Vida", não achou isso o bastante, mesmo já declarando nosso namoro, ela queria mais, pediu pra eu cortar contato com minha ex, vulgo melhor amiga, dizia que não daria certo e me pressionou a prometer isso pra ela, e nesse meio termo, eu tive que ver ela tentando reconstruir uma amizade com a ex dela e falhando miseravelmente no mínimo, mas BELEZA, segui deixando a minha ex de lado e fui construir o que eu queria com a pessoa que eu desejava, e nas primeiras semanas, foi maravilhoso, eramos a melhor combinação do mundo, dava pra sentir os outros casais invejando, a gente era mais entrosado que Romário e Bebeto, mais bonito que o sol se pondo em um céu laranjado, muito mais divertido que o todo o elenco dos Barbixas fundido com o Hermes e Renato, se você não entendeu que éramos incríveis, coloca todas as referências ao seu gosto que você vai entender. Só que eu descia mais para o inferno e não sabia.
Os outros níveis do inferno.
Todo mundo briga, não é nenhum erro discordar com alguém, e os lados se alterarem, mas o meu pavio estava curtíssimo... Eu não me aguentava, imagina então os erros das outras pessoas? E eu falava com ela o que me incomodava, e não era coisa básica do tipo "aí não gosto do seu sotaque" tava mais pra "você poderia falar menos putaria no meio da rua entre as pessoas?". E isso foi piorando, e eu não sou nenhum santo, muito pelo contrário, sei que errei de ter falado com ela daquele jeito, e então foi aí que o MEU jogo começou a trocar de estilo, eu percebi que tinha que mudar meu jeito, meu comportamento e minha forma de tratar algumas coisas. Sou explosivo, se tem que brigar, eu brigo, mas cara, eu não queria perder ela, e nessas foi me tocando que poderia ser melhor eu me trancar na fúria e dialogar na calma, e sim, eu me moldei a ela. Não, não errei só nisso, fiz coisas na qual eu não me orgulho e nem sei como aconteceu, porém, eu estava lá, ouvi o dela, e mudei, é um mérito meu, eu quero que você que está lendo tenha sua própria resposta para isso, pois a minha resposta é, não, isso não é um mérito, se você percebe que está errado, você muda, ok! Ok? E eu infelizmente não vou te dar um Plot Twist e falar que estamos vivendo lindamente, pois a gente desceu mais os degraus... No nível de começar a culpar o jeito no qual a gente conversava no whats para poder brigar, ela falava que eu era outra pessoa no whats, que respondia seco e era monossilábico, eu nunca vi isso, para começo de conversar, e ninguém nunca reclamou isso de mim, o que eu achei mais estranho, porém ela falou que outras pessoas que ela mostrava minha conversava concordava com ela, e tentei mudar isso, mandava mas áudio no intuito de ser mais confortável pra ela, e então chegou nosso primeiro mês de namoro...
Eeeeeh laiá, se quiserem numerar os infernos, fiquem à vontade, pois eu não tenho saco.
Eu sempre odiei isso, de mêsversario, maluco, ninguém quer saber que seu bebê feio está fazendo 8 meses, ou então seu relacionamento que ninguém liga está no terceiro mês, sabe quem se importa pro seu relacionamento, você e sua companheira, e... era importante para nós dois... pra mim pelo menos...
Chegou o cujo dia, e eu tinha planejado uma coisa simples, porém de coração. Vinho, uma pizza, janela aberta com iluminação da lua, era um momento especial na qual queria deixar ainda mais especial. Não falei nada, só deixei as coisas acontecer, e eu não sei por qual motivo, mas ela não estava me ajudando para isso (descobri depois o porquê) e meio que ficava "aí vc quer me ver ou não", meio que se não fosse óbvio que SIM, não só pela vontade de ver ela todo o dia, como pela data, e eu falava que queria, porém ela achou que faltou "vontade" nas minhas palavras, e resolveu ir em uma festa no dia que marcava um mês no nosso relacionamento, eu não acreditei, fiquei encabulado, cara, era nossa noite, noite na qual você optou por passar com pessoas que eu nem sabia quem era, e sem mais nem menos, e vamos discutir de novo... Mas dessa vez foi diferente. Fui na casa dela, já tínhamos conversado sobre o que aconteceu pelo telefone, ela falando que eu não fui direto e parecia sem vontade de ver ela, e eu explicando que não, e que ela cagou pra mim e foi pra uma festa como se fosse nada de mais... Acabou que ela me falou que estava muito cansada pra um relacionamento sério, e que achava melhor a gente dar um tempo, até ela se sentir confortável para estar em outro relacionamento... Tudo que eu queria, era não perder ela, concordei como um desesperado, porém falei que não iria aceitar algumas coisas, entramos em um consenso, e agora sim estamos felizes até agora, claro que não...
Depois desse episódio, resolvi me dedicar ainda mais, fazia tudo que dava pra ela, andava pra qualquer canto com ela, ia buscar, levava ela, talvez vocês nem acredita, mas eu mudei a direção do vento só pra ver o vento tirar o lindo cabelo dela da frente do mais belo rosto, e isso não foi o bastante. Ela buscava mais coisas para a gente discutir, com coisas do tipo "não se mexe no celular na companhia de alguém" é até verdade, mas dá pra você abrir uma excessões quando você passa o dia inteiro com a pessoa, mas eu aderi, e continuei me mudando por ela, era meu foco a melhora dela, e ter nossas alianças de volta "sim, eu comprei alianças, e ela tirou quando pediu o tempo". Mas foi aí que as coisas começaram a mudar pra mim, não vou esquecer que a gente passou mais um tempo de boas, mesmo depois dela ter pedido o tempo dela, a gente brigou muito, e nisso eu estava pensando "será que é bom pra nós dois?" só que quando a gente passava a tarde juntos, eu perdia esse pensamento, pois eu amava ela de verdade, cogitei terminar sim com ela, mas a gente conversava e se resolvia, porém foi nessa que eu percebi que só uma pessoa mudava, eu...
E então, chegamos no último inferno.
Essa epopéia estava no fim, e eu nem percebi, mas vamos logo para o último capítulo. Eu já conhecia a família dela, pelo menos a parte que ela sente alguma coisa, e chegou a vez dela conhecer a minha, meu irmão que tava em Brasília veio com a minha prima e era o momento perfeito, minha mãe ia preparar um almoço especial, chamou até minha tia e meu tio, tava tudo perfeito, só não esperava por uma coisa importante, ela não ir... Então vamos lá, bora começar uma semana antes, ela estava mal, se sentindo triste, fui na casa dela e troquei meu melhor amigo (que estava fazendo aniversário) pra ficar com ela, ele simplesmente me implorou para ir, e eu só falei "me ocorreu um imprevisto", era ela o imprevisto, e dei a força que ela precisava, beleza, no outro dia ela saiu com a amiga dela (coisa que me incomodava, já que a amiga dela incentivava ela ficar com outras pessoas, mas dessa vez, eu achei que ela precisava sair da casa dela). Só que ela ainda estava meio pra baixo, e no final de semana, especificamente sábado, resolvemos sair, ela com a galera dela, e eu com meu amigo que eu tinha furado, no domingo era o almoço, beleza, a gente conversou no whats e parou em um momento da noite, eu não me lembro do restante da noite, fiquei muito bêbado (e não, não fiz nenhuma merda de bêbado, só não me recordo de como eu voltei pra casa e que horas), acordei cedo, que é estranho, e antes mesmo de mandar mensagem pra ela, 6h ela me manda um áudio, falando que tava voltando pra casa da amiga dela naquele horário e que não daria pra ir pra minha casa conhecer minha família, eu fui destruído aí, mandei um "tudo bem", esperei até às 7h, fui no mercado comprar as coisas pro almoço, e foi isso, a cada pessoa perguntando, "Hey, cadê a sua Vida", eu simplesmente colocava um sorriso falso no meu rosto e falava "tá passando mal hoje, vai ficar em casa", no meio do almoço ela me ligou, e eu falei que fiquei mal com isso, e que não queria ver ela. E lembra que eu falei que via as coisas como um jogo, foi esse momento que eu pensei em desistir de tudo, o mais forte desse sentimento. Ela veio em casa, e me ouviu dizer que não queria mais aquilo, eu tinha cancelado trabalho pra ir ver a família dela, quando ela ficou na rua pra não ver a minha, mas eu fui fraco, aceitei as desculpas dela... A mesma pessoa que fala que desculpa não é uma palavra, e sim uma ação, e foi nisso que eu me peguei. E no outro dia, ela tinha uma entrevista de emprego online, na qual o entrevistador não foi com a cara dela (e ele foi babaca, ela foi incrível na entrevista), s acabou nela não passando, ficou devastada, e eu ainda meio chateado com ela, larguei de lado esse sentimento, e fui ajudar ela, comprei bebida, a melhor pizza que eu podia pegar (dominos é claro) pra ver ela levando o vinho que peguei pra beber com a amiga dela...
Ok...
Queria muito ver ela, e na sexta foi o dia, IRRAAAAAAAA, vou ver ela, e ela vai passar o dia comigo, vamos ter a melhor noite de todas e nada disso vai acontecer... Tirando a parte de ver ela, eu fui, e passei incrível 3h lá, a amiga dela falou que tava na bad, e pediu pra ela ir lá, e fodac eu. Mas até aí tudo bem, a garota lá precisava de uma companhia, acompanhei ela até um lugar pro Uber ficar tranquilo, e trocamos mensagem até de noite, quando ela resolveu sair... E sumiu... De madrugada (umas 5h) ela falou que a noite dela foi incrível, que conheceu um cara na qual conversou bastante, e que se divertiu muito, e isso foi as últimas coisas que ela me falou no final de semana resto de sábado, domingo e começo de segunda. Então começou a semana, fui entregar currículo já pensando "isso não está acontecendo" "deve ter uma resposta melhor", a única coisa que ela deveria fazer, era me valorizar depois da pisada de bola do almoço, e não contente, ela me pisa na com os dois pés depois, eu precisava entregar aqueles currículos, eles perderiam a data de vencimento, já que no outro dia eu teria 23 anos, e foi o pior dia do meu ano, eu tava visivelmente abalado, cheguei a vomitar no meio da rua, e mandei mensagem pra ela, pra saber se como estava, e ganhei um incrível "oi, c tá bem?". Cara eu já não tava legal, estava no meio da rua mal, e ainda ganho uma dessa, como se fosse um qualquer na vida dela, mandei um áudio pra ela, falei que não tava, que ela tinha sumido final de semana e queria conversar com ela, e sim, já ia com intensão do pior, colocar todas as coisas dela na minha bolsa, e com a pior das hipóteses já terminava ali, só que fui surpreendido... ela responde a porra do áudio com um "ah, não sei oq vc entendeu, nosso lance é casual, eu tive um final de semana cheio, virei duas noites, pipipipopopo" as lágrimas do meu rosto já estava deixando de existir com a falta de senso dela, eu simplicidade liguei e a única coisa que eu consegui falar foi "Eu desisto." Falei que ia encontrar ela e levar as coisas que estavam na minha casa, e pedi pra ela levar as minhas coisas (inclusive as alianças que ficou com ela), quando ela me chega, toda sorridente, fazendo sinalzinho com a mão, e eu não querendo acreditar, não sabendo se ela não entendeu a grandeza dos acontecimentos, ou porquê eu era só um qualquer pra ela, ela sentou na minha frente e disse "aí, eu não vou mais correr atrás de você... E blá blá blá" era uma realidade horrível, eu não estava acreditando que vivia aquilo, eu pedi minhas coisas, dei a dela, e disse tchau, e ela teve a pachorra de me perguntar se eu não ia abraçar ela, será que em algum momento ela percebeu minha expressão facial? Ela olhou pro vermelho dos meus olhos? Ou então notou o tom da minha voz? Eu cheguei em casa, destruído, e desativei tudo que poderia, graças a Deus eu ainda tenho pessoas que se importa comigo, e me ligaram, falei que ia me isolar um pouco e que qualquer coisa poderia me ligar. Foi a pior noite da minha vida, não dormi nada, e não aguentava nada, quando chegou as 7h da manhã, resolvi sair, chorando que soluçava, e fui para o parque, sentei no banco, e fiquei lá, quando a primeira pessoa me liga, me dando os parabéns (sim, era meu aniversário), eu não sabia oq falar e disse que tava ocupado, na segunda eu não consegui enganar, e percebeu minha voz de choro, falei que logo ligava de novo, e na terceira, eu desabei, era minha ex, a única pessoa que eu não esperava, ela sempre sabe quando eu não estou bem, e ela me deu um pouco de energia, me incentivou a ir pra casa, ver minha mãe, e sair com algum amigo, levantei animado, as palavras dela fazia sentido, até lembrar que a única pessoa que eu realmente queria a ligação não fez questão, e aconteceu uma das piores coisas da minha vida, eu simplesmente olhei para um carro na rua, e fui em direção a ele, a sorte que eu tive do cara ter feriado hoje eu vejo que é incrível, a sorte que eu tive de só ter subido em cima do capô dele e ver ele de tão perto atrás do parabrisa só mexendo a boca não entendendo nada que ele falava, sai de cima do carro e sentei na calçada, depois de uma longa conversa entre um grupo de pessoas, um cachorro e comigo mesmo, resolvi ir pra casa, lavei meu rosto e abri a geladeira, minha mãe tinha feito uma torta pra mim e comprado pizza pra fazer de noite, a minha relação com minha mãe é de mais ou menos pra ruim, porém naquele mesmo dia, foi ela que me viu chorar depois de me desejar sorte, sendo que quem eu chamava de "Vida" me deu o pior parabéns possível pelo Instagram.
Até hoje, dois dias depois do meu aniversário, ela não apareceu pra falar qualquer coisa, e eu realmente não quero ver a cara dela, pois eu tô destruído, até agora eu tô recebendo ligação e mensagem de pessoas que realmente se importa comigo, pedindo pra me ver, e eu não conseguindo, porque essa é a pior versão de mim, e eles merecem muito mais que isso, eu tô pensando em tanta coisa ruim agora, e minha mente tá conturbada tentando simular isso como se nunca tivesse acontecido, e eu realmente não consigo acreditar como esses poucos meses, destruíram tanto minha vida.
Você que leu isso até agora, agradeço muito por reservar esses minutos da sua vida pra esse texto, eu começar ele umas 23h da noite, e tô terminando agora 6h17, depois de parar algumas vezes, e me desculpa pelo tamanho. Eu só achei que precisava compartilhar isso com alguém.
Obrigado por ter chegado até aqui.
submitted by nofimnaime to desabafos [link] [comments]


2020.10.25 02:34 laranjo21 Sozinho e deprimido: Uma situação que se prolonga há anos

Desde a minha adolescência, eu nunca me senti bem quanto ao fato de estar sozinho. Ter namorado apenas uma vez e por 3 meses ainda. Não ter perdido a virgindade até hoje, me fazem sentir uma terrível sensação de que estou fadado a estar só.
Tenho 21 anos hoje, e desde meus 14/15 eu me sinto mal. Por ser mais nerdão (gostar de computação, e coisas afins), eu passo mais tempo na frente do PC, seja por conta da faculdade que é justamente da computação, como também por não ter nada lá fora (quero dizer, na rua) pra eu fazer.
Não há uma mensagem de alguém no meu celular que seja dizendo que sente minha falta, que queria estar comigo hoje e de que principalmente me ama.
Pra me esconder da sensação de não estar aproveitando minha vida, criei a casca e a desculpa de que estou focando no meu futuro na área da computação (aquela desculpa furada como, vou virar programador voltado pra IA, vou trabalhar pra fora, logo preciso me dedicar muito). Isso fez com que eu possa fugir das perguntas que envolvem o fato de eu sempre estar em casa. Tenho amigos, alguns da faculdade e apesar de serem pessoas legais, não preenchem o vazio que é não ter alguém que te ame e que obviamente não seja sua família.
É engraçado como o ser humano, estando sozinho, consegue ter as piores ideias sobre si e como a vontade de se matar as vezes surge como uma ótima ideia. No final, só me sinto cansado de mim mesmo e de todo esse buraco que criei pra fugir do mundo.
Eu trabalho, ganho meu humilde salário, compro uns livros, umas coisas, e msm assim me sinto mal. Sei que reclamo de barriga cheia, mas em meu mundo, estando só a tanto tempo e sem nunca ter ouvido de verdade um eu te amo (já que o primeiro e único relacionamento foi algo bem rápido pra ter coisas assim) me geram a profunda sensação de que nada faz sentido. Estudo, busco ter uma vida boa e ainda assim, me sinto mal. E agreguem a isso uma leve tendência a depressão, que fica melhor ainda. A receita completa pra ou se matar mais pra frente ou viver frustado por mais um tempo.
submitted by laranjo21 to desabafos [link] [comments]


2020.10.23 05:40 LoveUm Sou bissexual e estou apaixonado pela minha melhor amiga.

Nós nos conhecemos desde o ensino médio, a uns 5 anos atrás, eu sempre contei tudo sobre mim pra ela, traumas, gostos, vontades e tudo que geralmente melhores amigos fazem. Eu gosto demais dela e nós somos amigos até hoje, mas eventos recentes me fizeram perceber que eu (ainda) estou apaixonado pela minha melhor amiga.
Tudo começou quando ela estava tendo um problema com um relacionamento, onde um "amigo" havia dito pra ela que estava apaixonado, e pela segunda vez foi rejeitado. Porém não é tão simples assim, ambos começaram a se distanciar e minha amiga tem problemas de ansiedade e isso estava afetando-a demais, ela gostava muito da amizade desse "amigo" mas sentia que as coisas não vão mudar por que ela não sente o mesmo por ele, e o meu papel nessa história, era aconselha-la da melhor maneira possível pra ela resolver esse conflito, tentando ao máximo não me meter no meio da situação.
Mas eu sentia algo por ela que eu sabia o que era, eu estava gostando dela e me confessei inclusive, ficando surpreso pela resposta dela dizendo que já sabia, mesmo assim eu fui rejeitado também, mas diferentemente do outro "amigo" dela que insistiu, eu não fiz o mesmo por que não gostaria de perder a amizade dela como estava acontecendo com esse outro "amigo". Eu disse que estava tudo bem, que não precisaria se preocupar com isso e continuei agindo normalmente, como se nada tivesse acontecido. Nunca falei sobre mulheres com ela por que sabia que não era do interesse dela. Mesmo sendo bissexual perguntei se isso seria um problema caso nós supostamente namorassemos, ela disse que não era isso, mas que me via como um irmão e achava estranho, sinto que talvez tenha algum problema na verdade. (Fui parar na Brotherzone, pior ainda.)
Então eu não comentei mais nada e continuamos sendo bons amigos como sempre fomos, falando de homens que gostariamos de pegar, trocando fotos zuadas, falando as experiências de vida, indo ao cinema, saindo e enfim.
Resultado de uns 2 meses depois, ela comecou a namorar com o outro "amigo".
Até aí tudo bem, eu tinha ficado muito feliz pela minha amiga por que achava que ela finalmente tinha entendido o que sentia por ele, mas ao mesmo tempo eu me sentia triste e não sabia o porquê, achava que era pelos meus amigos estarem encontrando seus pares e no fundo eu tinha um leve medo de ficar sozinho.
Conclusão, instalei o Tinder por recomendação da mesma. (KKKK)
Entre "sins" e "nãos", eu acabei conhecendo um garoto que acabou me chamando a atenção. Começamos a namorar e contei pra minha amiga que estava gostando dele, ela estava super feliz com isso, mas como nem tudo são rosas, acabei me relacionando por 3 meses, eu gostava dele mas as coisas nesse relacionamento começaram a se tornar tóxicas pelos dois lados e então eu pulei do barco. E surpreendentemente, pasmem, minha amiga disse que terminou também.
Eu já não sabia o que eu estava sentindo, conversando ela me disse que gostava dele como um amigo, mas sabia que se voltasse a falar com ele não seria mais a mesma coisa por que sempre teria aquele ponto do "Nunca vai ser o suficiente." Então ela começou a namorar com ele pra tentar contornar isso, mas ela não sentia o mesmo de qualquer forma por ele e o "Nunca vai ser o suficiente" continuou ali então ela decidiu acabar com isso de uma vez, não está nem se importando com a amizade que perdeu e ficou muito bem com isso.
E aí meu medo acabou multiplicando, mesmo eu ainda não admitindo que ainda estava sentindo o que eu sentia pra mim mesmo.
Mas eu estava de boa com tudo isso até que um dia ela disse que estava afim de um colega meu. E nós começamos a fofocar, eu "encorajando" ela pra falar com ele e tudo mais, zuando sobre pinto e primeira vez, achando que ela não teria coragem pra chamar ele. Mas quando ela finalmente teve coragem, eu senti alguma coisa, preocupação talvez.
Os dois começaram a conversar de uma forma bem suja no contexto sexual da palavra, não que eu tivesse lido as conversas, mas pela minha melhor amiga me contar o que rolava entre as mensagens, eu ficava curioso pra saber, não por que o garoto era bonito ou algo do tipo. Mas pelo progresso dos dois, até que ela me contou sobre umas mensagens que eles trocaram entre si que me fizeram perceber o que eu tava sentindo.
Apesar de ser o melhor amigo "viado", eu amo ela, não só como amigo, eu estou realmente apaixonado apesar de fazer o possível pra não demonstrar isso por medo de perder a pessoa que eu amo por já ter sido rejeitado duas vezes e fingir que não ligo. Ao mesmo tempo que me dói pelo fato de saber que eu nunca vou ser o primeiro sendo que nem sei se ela vai aderir a esse possível relacionamento com o outro garoto, o que não deveria ser problema meu, já que eu "escolhi" não me importar.
Eu acreditava que depois de um tempo isso passaria, mas ainda está aqui. Apesar de eu tentar de tudo pra matar esses sentimentos e ao mesmo tempo conviver com a pessoa que o provoca. É possível que eu esteja sendo covarde não sendo sincero sobre o que eu sinto, mas se alguém já deixou claro que não tem interesse romântico em você, mesmo você demonstrando e dando sinais de que você está ali, talvez isso seja uma batalha perdida e eu não estou pronto pra perder mais do que já perdi.
submitted by LoveUm to desabafos [link] [comments]


2020.10.19 23:43 Normal_bitch Não consigo superar

Preciso de conselhos e preciso desabafar.
Perdão pelos erros de português, não é meu forte.
Uma boa parte do meu relacionamento foi extremamente desgastante, embora as coisas tenham mudado, significando que eu deveria estar bem, eu não estou, eu ainda tenho raiva do meu namorado as vezes, não supero tudo oque aconteceu.
Como gosto desse sub decidi que vou soltar toda minha frustração aqui, tudo oque me fez mal no começo, preciso de alguém que me ouça,é uma tentativa de deixar esses problemas para trás e não estragar meu relacionamento.
Esse post sera bastante comprido
O primeiro mês foi bom, no segundo ele era paranóico, brigou comigo pois alguém que eu nem conheço disse que ele era corno, briguei feio com ele, então esse problema não se repetiu.
No terceiro mês os problemas começarem, não consigo lembrar dos detalhes, muito dessa época foi um borrão para mim.
Meu namorado tem problema com depressão, apartir do terceiro mês ele começou a ameaçar de se matar todos os dias basicamente, dizer coisas sem sentido, eu tentei ajudar ele o máximo que pude, depois de um tempo a família dele colocou ele em psiquiatra, psicólogo, terapeuta, tudo que era possível, até ai tudo bem, eu queria ajudar ele, claro que não iria deixar ele sozinho nesse momento.
Agora vem a parte que realmente me fez mal, durante meses ele ameaçou se matar todo o dia para mim, mandava foto de faca,na barriga, segurando, na mesa, ia no viaduto mandava foto dizendo que ia se matar, por todo o dia ficava me dizendo coisas terríveis, eu sentia que estava sendo torturada.
Me disse algumas vezes que queria pegar outras pessoas, me disse que se me traisse com um homem para testar nao teria problema, que estava em dúvida se gostava de homem e queria testar, um dia até quis tentar terminar comigo porque os colegas disseram que ele parecia gay quando colocou um piercing. Depois ele percebeu que era só confusão da cabeça dele pois sempre chamaram ele de viado.
Todo dia minha rotina se baseava em parar tudo o'que eu estava fazendo para ajudar ele.
Na escola dizia que ia embora pra se matar, quase todo dia eu tinha que implorar, ligar, chorar, pedir que ele não se matasse.
Uma vez nos bancos da escola disse que iria sair mais cedo para poder se matar enquanto eu me matava de chorar na frente dele,implorando para ele não me deixar, e ele nem ligou, me olhava com o olhar vazio, so dizia que era o melhor pra mim.
Uma vez brigamos e ele foi a uma festa e voltou falando sobre como a irmã do amigo dele estava rebolando pra ele, sabendo que nem sair de casa eu podia na época, e ele podia mesmo eu não tendo como (eu não podia sair ou namorar, esses meses foram escondidos da minha mãe, contamos no começo desse ano, todos esses problemas foram de setembro do ano passado até o início da quarentena, onde já podíamos nos ver fora da escola)
Ameaçou de se matar até no meu aniversário, primeiro aniversário que minha família parecia feliz, e eu tive que me esconder no quarto pra chorar e implorar que ele não se matasse, estraguei o aniversário, na frente da minha família tive que fingir que estava tudo bem.
Dizia o tempo todo que eu não gostava dele de verdade, que eu ficaria melhor se ele morresse, não importava quantas vezes eu tentasse provar que realmente gosto dele, isso é cansativo.
Dizia que ia tomar água sanitária, tomar todos os remédios, mandava fotos com facas, várias fotos no viaduto, e dizia "adeus" me fazendo implorar para que ele vivesse mais um dia, não sabendo oque aconteceria no outro dia. A única coisa que ele realmente fez foi tomar um gole de água sanitária, o restante felizmente foram apenas ameaças.
Um dia ele saiu para a casa de um amigo, e começou a ameaçar de se matar, quando fazia isso costumava colocar uma foto preta no whats, quando mandei mensagem para o amigo que estava do lado dele para pedir ajuda, o amigo me mandou um audio dizendo "é brincadeira dele tudo, ninguém manda acreditar" "ninguém manda não ajudar, agora vai morrer" coisas do tipo, rindo da minha cara, na hora eu bloqueei os dois e exclui todas as nossas mensagens, mais tarde descobri que ele realmente estava querendo se matar, então ele brigou comigo por acreditar no amigo dele, mas nunca disse uma palavra para o amigo que me enganou e riu da minha cara enquanto eu não conseguia parar de chorar por horas.
Um dia ele teve um ataque de ciúme porquê eu disse que achei uma foto de um gato que ele mandou fofo, "você prefere o gato a mim, vai com o gato então, vai vir aqui e vai querer dar mais atenção para o gato"
Fez um texto lindíssimo pra uma amiga, de uma forma que nunca fez pra mim e em uma parte do texto disse que ficaria com ela se não estivesse comigo, eu fingi que isso não me machucou por um tempo, e quando contei que me fez mal ele disse que nunca fez algo do tipo para mim pois a amiga dele realmente acreditava nele, e eu não acreditava. Eu que estava todo dia chorando, perdendo cabelo de estresse pra tentar ajudar ele.
Ele tinha o direito de conversar com quem quisesse, falar que pegaria outras pessoas, eu não sou ciumenta, porém eu não podia chegar perto de nenhum homem. Um dia ele insistiu que eu contasse quem eu achava bonito dos nossos colegas, quando eu contei ele brigou comigo, dizendo que era fácil para mim trocar ele.
Com tudo isso eu perdi 4 quilos, eu sou pequena, 4 quilos fazem grande diferença e perdi muito, muito cabelo a ponto de ter medo de ficar careca, perdi a habilidade de dormir a noite, pois passava a noite acordada, até as 6, horário que ele acordava, tudo por medo de que ele não estivesse dormindo e sim morto,esperando 4,5,6 horas para receber uma mensagem, até hoje tenho dificuldade para manter uma rotina saudável quanto ao sono, e tive meus primeiros pensamentos suicidas.
Em grande parte desses meses eu ficava apenas no meu quarto deitada, so saia pelas coisas que eu sou obrigada a fazer, estudar, limpar,comer as vezes, e exercício pois já tenho problemas o suficiente de autoestima, se eu ficasse mais feia aí sim pioraria de vez e me mataria, gosto muito de exercícios e os fazia a noite, mas como ele chegava a noite, várias vezes parei de fazer para ajudar ele.
Eu so queria ajudar ele, apenas isso, foi a única coisa que eu fiz todos esses meses, perdoar e ajudar, apenas isso.
Quando eu não aguentava mais disse que se ele não mudasse a forma de lidar com os problemas eu terminaria, apartir dai ele começou a melhorar, a terapia foi o'que mais funcionou para ajudar com o problema dele, ele começou a desabafar ao envez de jogar todos os problemas em mim e me torturar, eu finalmente estava feliz.
Então quando eu pensei que deixaria tudo isso pra trás ele em uma manhã começou um assunto sobre gostar de mulheres mais velhas, até ai tudo bem, mas ele decidiu dizer "trovaria tua mãe, ela e bonita" , e foi onde meu mundo caiu, todas as vezes eu perdooei ele, sempre entendi que era por conta da depressão que ele me fazia mal, entendi que não era culpa dele, mas isso era demais, isso era um limite, todas as outras vezes eu acreditei que ele mudaria e confiei nele, dessa vez não consegui, não sei se consigo até agora.
Ainda assim eu continuei com ele, e desde então ele tem sido um amor, tudo está bem, ou deveria estar, mas eu não consigo superar tudo isso, sinto que atinge meu limite com o último problema e não consigo mais voltar a acreditar nele, ou confiar nele. Eu amo ele, e agora ele realmente mudou, a meses nao fala nada que me deixa triste, sempre pergunta se está me sobrecarregando quando desabafa, ele me respeita bastante, porém eu não quero estragar nosso relacionamento com meu problema de não superar.
Eu sei que o jeito que eu falei sobre o problema de depressão dele pode ter sido egoísta, focando apenas no meu lado, enquanto para ele deve ter sido muito pior, mas eu so estou contando como me senti, eu sei que esse problema não e culpa dele e que as coisas que ele me disse e me fez foram por estar fora do normal graças a depressão, não o culpo, ao menos ele melhorou, não e como se eu fosse perfeita, por vezes nao acreditei que ele mudaria e exagerei nas brigas,so piorando a situação , agora eu aprendi a conversar ao envez de brigar e isso ajudou. Porém eu nunca tinha lidado com algo do tipo, não soube ajudar ele então acabou que fui sobrecarregada, e agora eu preciso de um conselho, como posso superar isso e finalmente olhar pra frente, nosso relacionamento devia estar bem, não quero estragar tudo, me ajudem!!
submitted by Normal_bitch to desabafos [link] [comments]


2020.10.19 22:05 Normal_bitch Não consigo superar, me ajudem!!

Preciso de conselhos e preciso desabafar.
Perdão pelos erros de português, não é meu forte.
Uma boa parte do meu relacionamento foi extremamente desgastante, embora as coisas tenham mudado, significando que eu deveria estar bem, eu não estou, eu ainda tenho raiva do meu namorado as vezes, não supero tudo oque aconteceu.
Decidi que vou soltar toda minha frustração aqui, tudo oque me fez mal no começo, preciso de alguém que me ouça,é uma tentativa de deixar esses problemas para trás e não estragar meu relacionamento.
Esse post sera bastante comprido
O primeiro mês foi bom, no segundo ele era paranóico, brigou comigo pois alguém que eu nem conheço disse que ele era corno, briguei feio com ele, então esse problema não se repetiu.
No terceiro mês os problemas começarem, não consigo lembrar dos detalhes, muito dessa época foi um borrão para mim.
Meu namorado tem problema com depressão, apartir do terceiro mês ele começou a ameaçar de se matar todos os dias basicamente, dizer coisas sem sentido, eu tentei ajudar ele o máximo que pude, depois de um tempo a família dele colocou ele em psiquiatra, psicólogo, terapeuta, tudo que era possível, até ai tudo bem, eu queria ajudar ele, claro que não iria deixar ele sozinho nesse momento.
Agora vem a parte que realmente me fez mal, durante meses ele ameaçou se matar todo o dia para mim, mandava foto de faca,na barriga, segurando, na mesa, ia no viaduto mandava foto dizendo que ia se matar, por todo o dia ficava me dizendo coisas terríveis, eu sentia que estava sendo torturada.
Me disse algumas vezes que queria pegar outras pessoas, me disse que se me traisse com um homem para testar nao teria problema, que estava em dúvida se gostava de homem e queria testar, um dia até quis tentar terminar comigo porque os colegas disseram que ele parecia gay quando colocou um piercing. Depois ele percebeu que era só confusão da cabeça dele pois sempre chamaram ele de viado.
Todo dia minha rotina se baseava em parar tudo o'que eu estava fazendo para ajudar ele.
Na escola dizia que ia embora pra se matar, quase todo dia eu tinha que implorar, ligar, chorar, pedir que ele não se matasse.
Uma vez nos bancos da escola disse que iria sair mais cedo para poder se matar enquanto eu me matava de chorar na frente dele,implorando para ele não me deixar, e ele nem ligou, me olhava com o olhar vazio, so dizia que era o melhor pra mim.
Uma vez brigamos e ele foi a uma festa e voltou falando sobre como a irmã do amigo dele estava rebolando pra ele, sabendo que nem sair de casa eu podia na época, e ele podia mesmo eu não tendo como (eu não podia sair ou namorar, esses meses foram escondidos da minha mãe, contamos no começo desse ano, todos esses problemas foram de setembro do ano passado até o início da quarentena, onde já podíamos nos ver fora da escola)
Ameaçou de se matar até no meu aniversário, primeiro aniversário que minha família parecia feliz, e eu tive que me esconder no quarto pra chorar e implorar que ele não se matasse, estraguei o aniversário, na frente da minha família tive que fingir que estava tudo bem.
Dizia o tempo todo que eu não gostava dele de verdade, que eu ficaria melhor se ele morresse, não importava quantas vezes eu tentasse provar que realmente gosto dele, isso é cansativo.
Dizia que ia tomar água sanitária, tomar todos os remédios, mandava fotos com facas, várias fotos no viaduto, e dizia "adeus" me fazendo implorar para que ele vivesse mais um dia, não sabendo oque aconteceria no outro dia. A única coisa que ele realmente fez foi tomar um gole de água sanitária, o restante felizmente foram apenas ameaças.
Um dia ele saiu para a casa de um amigo, e começou a ameaçar de se matar, quando fazia isso costumava colocar uma foto preta no whats, quando mandei mensagem para o amigo que estava do lado dele para pedir ajuda, o amigo me mandou um audio dizendo "é brincadeira dele tudo, ninguém manda acreditar" "ninguém manda não ajudar, agora vai morrer" coisas do tipo, rindo da minha cara, na hora eu bloqueei os dois e exclui todas as nossas mensagens, mais tarde descobri que ele realmente estava querendo se matar, então ele brigou comigo por acreditar no amigo dele, mas nunca disse uma palavra para o amigo que me enganou e riu da minha cara enquanto eu não conseguia parar de chorar por horas.
Um dia ele teve um ataque de ciúme porquê eu disse que achei uma foto de um gato que ele mandou fofo, "você prefere o gato a mim, vai com o gato então, vai vir aqui e vai querer dar mais atenção para o gato"
Fez um texto lindíssimo pra uma amiga, de uma forma que nunca fez pra mim e em uma parte do texto disse que ficaria com ela se não estivesse comigo, eu fingi que isso não me machucou por um tempo, e quando contei que me fez mal ele disse que nunca fez algo do tipo para mim pois a amiga dele realmente acreditava nele, e eu não acreditava. Eu que estava todo dia chorando, perdendo cabelo de estresse pra tentar ajudar ele.
Ele tinha o direito de conversar com quem quisesse, falar que pegaria outras pessoas, eu não sou ciumenta, porém eu não podia chegar perto de nenhum homem. Um dia ele insistiu que eu contasse quem eu achava bonito dos nossos colegas, quando eu contei ele brigou comigo, dizendo que era fácil para mim trocar ele.
Com tudo isso eu perdi 4 quilos, eu sou pequena, 4 quilos fazem grande diferença e perdi muito, muito cabelo a ponto de ter medo de ficar careca, perdi a habilidade de dormir a noite, pois passava a noite acordada, até as 6, horário que ele acorda, tudo por medo de que ele não estivesse dormindo e sim morto,esperando 4,5,6 horas para receber uma mensagem, até hoje tenho dificuldade para manter uma rotina saudável quanto ao sono, e tive meus primeiros pensamentos suicidas.
Em grande parte desses meses eu ficava apenas no meu quarto deitada, so saia pelas coisas que eu sou obrigada a fazer, estudar, limpar,comer as vezes, e exercício pois já tenho problemas o suficiente de autoestima, se eu ficasse mais feia aí sim pioraria de vez , gosto muito de exercícios e os fazia a noite, mas como ele chegava a noite, várias vezes parei de fazer para ajudar ele.
Eu so queria ajudar ele, apenas isso, foi a única coisa que eu fiz todos esses meses, perdoar e ajudar, apenas isso.
Quando eu não aguentava mais disse que se ele não mudasse a forma de lidar com os problemas eu terminaria, apartir dai ele começou a melhorar, a terapia foi o'que mais funcionou para ajudar com o problema dele, ele começou a desabafar ao envez de jogar todos os problemas em mim e me torturar, eu finalmente estava feliz.
Então quando eu pensei que deixaria tudo isso pra trás ele em uma manhã começou um assunto sobre gostar de mulheres mais velhas, até ai tudo bem, mas ele decidiu dizer "trovaria tua mãe, ela e bonita" , e foi onde meu mundo caiu, todas as vezes eu perdooei ele, sempre entendi que era por conta da depressão que ele me fazia mal, entendi que não era culpa dele, mas isso era demais, isso era um limite, todas as outras vezes eu acreditei que ele mudaria e confiei nele, dessa vez não consegui, não sei se consigo até agora.
Ainda assim eu continuei com ele, e desde então ele tem sido um amor, tudo está bem, ou deveria estar, mas eu não consigo superar tudo isso, sinto que atinge meu limite com o último problema e não consigo mais voltar a acreditar nele, ou confiar nele. Eu amo ele, e agora ele realmente mudou, a meses nao fala nada que me deixa triste, sempre pergunta se está me sobrecarregando quando desabafa, ele me respeita bastante, porém eu não quero estragar nosso relacionamento com meu problema de não superar.
Eu sei que o jeito que eu falei sobre o problema de depressão dele pode ter sido egoísta, focando apenas no meu lado, enquanto para ele deve ter sido muito pior, mas eu so estou contando como me senti, eu sei que esse problema não e culpa dele e que as coisas que ele me disse e me fez foram por estar fora do normal graças a depressão, não o culpo, ao menos ele melhorou, não e como se eu fosse perfeita, por vezes nao acreditei que ele mudaria e exagerei nas brigas,so piorando a situação , agora eu aprendi a conversar ao envez de brigar e isso ajudou. Porém eu nunca tinha lidado com algo do tipo, não soube ajudar ele então acabou que fui sobrecarregada, e agora eu preciso de um conselho, como posso superar isso e finalmente olhar pra frente, nosso relacionamento devia estar bem, não quero estragar tudo, me ajudem!!
submitted by Normal_bitch to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.17 18:12 MenteConfusa Pensando em desistir

Esse desabafo foi extremamente necessário, feito por uma pessoa muito confusa com tudo, que não consegue colocar seus pensamentos em organização e alcançar suas metas e objetivos. Eu sei, ficou realmente grande, mas é uma forma de eu mesmo tentar me ajudar, colocando tudo o que dói pra fora, visto que não converso com ninguém sobre isso, o que talvez seja mais um problema que só percebi agora
Escrevam sobre o tópico que lhes interessa e já vai me ajudar muito, dificilmente alguém vai ter um bom conselho pra tudo
Sou um rapaz de 20 anos com muitos sonhos, muitas metas pro futuro mas que não consegue colocar tudo em prática. Não sei se o que me falta é foco, ação ou o que mais. Na verdade quando penso o que quero e preciso fazer minha mente gira por tantos assuntos que não consigo organizar meus pensamentos e metas, foi daí que comecei a escrever pra dar um rumo
Geralmente passo meus dias fazendo algumas coisas que vão dar resultado a longo prazo, como tentando cuidar da minha aparência, do meu corpo e fazendo as obrigações diárias. Acabei o ensino médio há um tempo e não encontrei nenhuma faculdade que tenha o que realmente quero. Eu vejo faculdade como uma encheção de saco gigante, eles colocam matérias só pra cumprir com o que o MEC pede e quem se fode é o estudante que perde muito tempo. Eu tava procurando alguma facul rápida por aqui que tenha a ver com gestão, administração, empreendedorismo, marketing, vendas, mas não encontrei ainda uma de qualidade que seja tecnólogo (2 anos e meio de graduação)
Todo o meu ensino até hoje foi público e de péssima qualidade. As vezes nem tinha aula e os professores lecionavam em áreas que não estudaram, o que tornava tudo ainda pior pra absorver. A estrutura era ruim, os professores eram ruim, os alunos eram ruins e você não tinha nada no que se espelhar. No fundamental sofri um pouco de bullying que foi o suficiente pra me traumatizar por um tempo, sempre que eu pensava em ir para a escola me dava calafrios. Se não fosse o meu melhor amigo, eu teria reprovado, ele era a única inspiração e motivação que eu tinha, fazíamos as atividades juntos e um se espelhava no outro, pois éramos os melhores da escola (título fácil de alcançar)
Minha família não é muito de conversar sobre os problemas, isso já é de muito tempo e é meio que cultural entre nós. Não converso sobre nada com meu pai, mas ele quase sempre me deu tudo o que preciso, é uma pessoa liberal, me deixando sair quando quiser e o tempo que quiser, só não gosta que eu mude minha aparência ou se envolva com cigarro ou coisa pior, beber pode. O que mais me deixa confortável é que ele não me pressiona de forma nenhuma sobre eu não estar trabalhando ou não dar nenhuma atualização sobre o que quero fazer, na verdade não sei nem se ele se importa tanto com o que quero, só com que eu consiga logo. Esse tempo é muito importante para um jovem que ainda precisa se decidir e precisa de tempo pra bolar algo que dê certo. Se não fosse pelo PS2 que ele me deu quando eu tinha uns 7 anos, eu não teria aprendido inglês cedo, o que prejudicaria muito das coisas que sei hoje e pior, eu procuraria lazer na rua, com amigos aqui da favela que seguiram por caminhos não convencionais de se ganhar dinheiro, e provavelmente eu faria o mesmo. Meu pai é a pessoa que eu mais amo no mundo, uma das minhas metas é ter uma boa relação com ele
Meu pai tem problemas de saúde como diabetes e pressão alta e não importa o que aconteça ele continua se alimentando mal, mesmo sabendo do pior. Eu sinto que ele pode morrer e se isso acontecer eu não vou me perdoar nunca. Eu fico puto pois passamos por um problema recente e ainda assim ele ainda não mudou, problema esse que vou citar agora
Recentemente minha mãe morreu, mas eu não me sinto confortável em contar os detalhes aqui. Meu pai foi essencial pra resolver toda a situação, mesmo os dois sendo separados há anos, ele tankou a maior parte da dor por mim e minha irmã.
Acredito que prevenir é a melhor coisa que existe pra viver bem com a própria mente, anotar todos os problemas e desejos e fazer eles o mais rápido o possível, para que você saiba que quando algo de ruim aconteça, você fez o possível. O problema é que não consigo, meu bloco de notas fica cada vez mais cheio, tem coisas de um ano atrás que não concluí ainda
O que mais me ajudaria agora é fazer dinheiro com algo que eu gosto. Prezo muito o tempo e sei que é a moeda mais valiosa que existe, então eu não gosto de gastar meu tempo com um trabalho que eu nao gosto, mas a ironia está em que eu gasto muito meu tempo com coisas inúteis no celular, quando poderia estar fazendo dinheiro com algo que não gosto. Sou burro
Sonho em ganhar dinheiro enquanto evoluo minhas próprias habilidades e coisas que eu gosto, ajudando pessoas e a mim mesmo. Talvez com assuntos políticos, religiosos, comunicativos, ajudando pessoas, evoluindo a mim mesmo, espiritualidade, jogos, lore, curiosidades, entretenimento, ajuda aos animais e blá blá blá. Uma plataforma que eu conseguiria fazer isso é o YouTube, mas preciso de um planejamento gigante e fico empacado no overthinking, sem agir de verdade. Outras formas de fazer money que eu amo é empreendendo, pois amo ser o dono do meu próprio negócio, odeio ter chefe e horário pra chegar em um lugar e valorizo meu tempo. Fazendo investimentos, pois em algum momento vou querer viver só de renda, e essa forma de fazer dinheiro junto com o empreendimento me permite ajudar muita gente mesmo, através de educação ou investindo nelas, talvez eu pense em seguir uma carreira política no futuro, visando evoluir minha comunidade, cidade, estado e região
No começo do ano eu sonhava em viajar pro exterior e trabalhar lá com programação, fazer muito dinheiro na Europa e voltar, mas aí eu pensei 'vou gastar anos trabalhando com algo que eu apenas gosto (não amo) sendo que eu posso fazer dinheiro fazendo algo que amo, evoluindo as áreas que amo com a consequência que vou demorar um pouco mais pra conseguir esse dinheiro? E decidi mudar de profissão desejada. Já fiz isso umas 6x esse ano, até que estou aqui. Só esse ano já mudei de faculdade desejada umas 10 vezes até desistir. Eu queria uma facul de empreendedorismo mas só tem no sul, porém acho que pego alguma de administração tecnólogo por aqui. Eu pretendo ser bem versátil, pra caso dê ruim no YouTube, empreendimento e investimentos, eu tenha um caminho de saída, uma porta de emergência, mas ainda estou MUITO confuso nessa área que é talvez a mais importante
Penso que se eu morar sozinho vou ter foco 100% em mim, pois um dos maiores problemas que vi é que as pessoas ao meu redor sugam o meu potencial. Desde que minha irmã voltou a dividir quarto comigo quando começou a pandemia, eu venho definhando cada vez mais, comprei The Witcher 3 pra passar a quarentena e todas as minhas metas e meu progresso foram por água a baixo, eu me viciei de novo em jogar mas ultimamente já resolvi. Ela suga minha mente, poluiu meu quarto com as coisas dela e eu não tenho mais espaço nenhum em casa pra fazer minhas coisas. Quando minha madrasta chega a noite eu fico 0% produtivo. O único momento que eu me sinto bem é de madrugada, quando todo mundo tá dormindo e eu consigo usar meu tempo de uma boa forma, ao menos conseguiria se eu não procrastinasse. Atualmente não estou acordando nesse horário pois meu sono está desregulado.
Ultimamente me apaixonei algumas vezes mas não passou de uns meses ficando. Tenho dificuldade pra conhecer pessoas novas, mais ainda de conhecer pessoas que eu me interesso, então acabo ficando carente por bastante tempo, até me apaixonar de novo. Tenho alguns traumas de relacionamentos então me sinto com o pé atrás de namorar de novo, mas queria muito arriscar, só falta a pessoa
Quero morar só, porém pra isso preciso de dinheiro, porém pra ter dinheiro preciso fazer dinheiro, pra fazer dinheiro preciso de espaço pra colocar minha mente no lugar, pra ter esse espaço preciso que minha irmã suma, ou que eu ative algum modo secreto onde eu consiga me esconder em uma bolha pra me desenvolver, ou me suicidar, ou que algum milagre aconteça... Eu não sei o que fazer... Talvez se eu apenas fazer, aconteça...
Como já falei, ainda não pude resolver esse problema familiar pois não costumamos conversar, pra piorar tudo ainda tenho que aturar o namorado dela que é um pé no saco, dormimos nós 3 em um beliche em um quarto de 2m², não vou entrar em mais detalhes pois aí envolve a vida particular dela
No mais eu sou uma pessoa extremamente feliz. Não fico triste com felicidade, as vezes só fico puto com facilidade. Tenho muita dificuldade em chorar, não sei se isso é um traço de frieza, de felicidade ou de pouco espaço pra tristeza, mas no geral as emoções que envolvem relacionamento me afetam muito. Odeio sentir ciúme, odeio me apaixonar e depois perder essa pessoa, são nesses poucos momentos que eu choro de raiva. Tenho alguns muitos amigos e o pico de dopamina produzido pelo meu cérebro é quando estou em festas com eles, me drogando e curtindo. Amo meus amigos demais, a maioria deles fiz na escola e foi a única coisa boa que tirei de lá
Talvez eu conseguisse progredir se simplesmente desistisse de tudo e levasse uma vida genérica. Talvez seria mais fácil se eu pensasse menos e desse menos importância pras coisas, o famoso 'deixa a vida me levar'. Talvez com o tempo minha mente se acostumasse e eu não me importaria mais
Escrever me ajuda muito, então mesmo que não tenha nenhum comentário aqui, isso me ajuda a organizar meus pensamentos
submitted by MenteConfusa to desabafos [link] [comments]


2020.10.17 00:39 TravsTravinho Não sei se eu sou louco, tóxico, surtado ou se eu só não devo aceitar menos do que eu mereço. Só queria ouvir algumas palavras de conforto.

Isso é um desabafo, mas tudo vem de um relacionamento.
Constantemente sinto vontade de morrer, não de me matar, me suicidar, nem nada do tipo, eu só queria não estar mais aqui, não viver mais essa vida, e principalmente não ter a personalidade que eu tenho, não sentir necessidade de sentir o que eu sinto.
Nem sei como começar a explicar, eu tô nesse relacionamento, é um namoro, com toda certeza do mundo, estamos nos vendo toda semana, se chamando de amor, eu pago as coisas pra ele sem problemas, não ficamos com outras pessoas, dizemos “eu te amo” constantemente... Exceto que ele não quer namorar, ele tem os traumas dele com namoro e eu entendo.
Sinto que nada que ele faz pra mim é suficiente, isso mesmo, sempre ouço as pessoas dizerem “não me sinto suficiente pra ele” mas aqui é o contrário, eu sei que sou suficiente, eu seria um namorado perfeito, busco e levo ele em casa, faço surpresas, compro presentes, me declaro diariamente, levo em restaurantes caros, não vejo problema em parar tudo que eu estou fazendo para escutar o que ele sente, ouví-lo desabafar, tentar ajudá-lo com quaisquer problemas que ele possa ter. Mas não sinto o mesmo vindo dele.
Não é que ele não me ama, ele ama e eu sei disso! Ele me diz isso, ele arruma tempo pra mim, só que talvez ele não seja tão intenso como eu sou, e toda vez que eu reclamo ou que temos conversas sobre isso - ele sabe de tudo que estou escrevendo até agora - acaba em briga, eu supostamente o faço sentir insuficiente rs, ele se sente horrível, eu me sinto um monstro por dizer certas coisas (e eu falo com jeitinho).
Sei lá, talvez eu peça demais dele, talvez eu esteja sendo um monstro cruel, tóxico e abusivo por dizer que quero mais, que não sinto reciprocidade, que eu tenho um monte de responsabilidades e ele não... Ou talvez eu esteja certo em solicitar pra ele o que pra mim eu considero como o mínimo... Esses dois pensamentos ficam brigando dentro da minha cabeça parece, em um momento eu me sinto o dono da razão e cobro algum tipo de ação dele, alguns minutos depois eu posso me sentir péssimo.
Ele diz que eu não reconheço o que ele faz por mim. Eu sinto que ele não faz nada além de me dar migalhas de afeto.
Sinto que ninguém, nem ele, por mais que ele tente, consegue lidar comigo e com os meus sentimentos. Ele realmente tenta melhorar quando eu digo que estou incomodado com algo, mas será que eu estou em busca de um conforto que ninguém pode me prover?
Se eu não fosse tão necessitado do amor dele, se eu não lesse as entrelinhas e analisasse cada mensagem dele, nada disso seria um problema. O problema sou eu, e não ele.
Mas, eu estou errado em procurar alguém que me faça sentir confortável? Eu só quero ter o mesmo tratamento que eu dou a ele, me sentir e ser tratado como um príncipe.
Amo esse menino, mas acho que eu deveria terminar com ele, acabar com nosso relacionamento que até então era tão leve e saudável, tudo que eu sempre quis, para que talvez no futuro eu não o machuque, e nem ele me machuque.
submitted by TravsTravinho to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 22:23 Creative_Oven_6350 Estou na minha segunda formação e há quase três anos procurando emprego. Não consigo nada. A frustração está acabando comigo há muito tempo.

Bem, antes de começar, essa conta é uma throwaway, já que pessoas próximas podem ver o post.
A questão é a seguinte: logo que saí do Ensino Médio, consegui entrar em uma universidade federal. Na época eu tinha algumas ideias do que queria fazer para a vida e decidi arriscar na que me parecia mais legal. Não me entendam mal, não é que eu me arrependa de minha escolha, honestamente se não fosse por ela eu não acho que seria a pessoa que sou hoje e não conheceria minha namorada (com quem tenho um relacionamento há 5 anos).
Para ser mais específico, eu entrei em Licenciatura e Bacharelado em História, na UFPR. Eu realmente gostei do curso. História sempre foi uma área que me fascinou e durante a formação pendi cada vez mais para a pesquisa. No entanto, claro que na metade da graduação percebi a falta de perspectivas de pesquisas nessa área no Brasil e comecei a pensar em alternativas de onde trabalhar.
Sempre gostei de dar aula, apesar de nunca querer ser professor do Estado. Então entrar em PSS não era uma opção. Antes da minha primeira graduação, durante e até um tempo depois, sempre trabalhei informalmente em negócios da família. Fui assistente administrativo no escritório de contabilidade dos meus pais. Ajudei na pequena gráfica digital que meu tio tinha, tanto no balcão quanto no setor de compras. Esses trabalhos me ensinaram muitas coisas e me deram muitas habilidades diferentes. Sempre sou elogiado por ser comunicativo, tenho habilidades avançadas no pacote Office completo, aprendi a mexer em estoque, arquivo, realizar trabalhos braçais etc.
Só que em certo momento percebi que precisava de um trabalho formal. Algo que estivesse registrado em minha carteira de trabalho. Aqui entra outra coisa que gosto muito: idiomas. Desde cedo sempre estudei outras línguas por conta própria. Sempre foi um hobbie meu. Me tornei fluente em inglês, consigo conversar em francês e japonês e tenho certo conhecimentos de espanhol e LIBRAS. Aproveitando essas minhas habilidades, consegui me tornar professor de inglês.
Mas a ideia de virar professor de inglês nunca me foi permanente. A falta de perspectiva de uma carreira nunca fez com que eu quisesse ser professor. Pesquisador sempre tive vontade. Por outro lado, vejo amigos meus com 30, 35 anos fazendo doutorado, pesquisas maravilhosas, mas precisando arrumar outros empregos para se manter e ganhar mais ou menos mil reais por mês. Não é uma vida que quero ter.
Estou com 23 anos no momento. Quando estava com 20, decidi que iria para outra área que sempre tive muito interesse: a parte comercial. Sempre fui bem com números. Não só enquanto trabalhava no escritório de contabilidade de meu pai, mas também participei e "ganhei" algumas Olímpiadas de Matemática enquanto estava na escola. A área administrativa também era interessante. Então pensei bastante e cheguei a conclusão que se conseguisse algo na área de Relações Internacionais ou Comércio Exterior, teria a carreira que sempre quis.
Isso se deu por volta do início de 2018. Achar estágio na área de História (em museus e coisas do tipo) nunca deu certo, tanto pela falta de vagas quanto pela carga horária diária do meu curso que nunca batia com o que eu achava. Consequentemente, fui procurar estágios e empregos em Relações Internacionais e Comércio Exterior. Assim se deu o meu ano de 2018. Obviamente, sem nenhum resultado.
Eu mandava todo mês meu currículo para inúmeras vagas. Nunca recebi uma única resposta. Tudo bem. Bola pra frente. 2019 chegou e eu me formei na metade do ano. Mais 6 meses sem nenhuma resposta. Nesta época, eu já enviava o currículo semanalmente. Queria alguma oportunidade em RI ou Comex. Eu achei que História era um curso similar o suficiente. Pelo jeito, as empresas não concordavam.
Depois de minha formatura, há quase um ano e meio procurando, decidi investir em concursos públicos. Talvez eu conseguisse uma área no setor comercial ou administrativo do Estado. Não seria um problema se eu pudesse migrar posteriormente. Prestei vários concursos que fiquei três ou quatro vagas abaixo da linha de corte. A frustração era grande, mas eu continuava.
Enquanto isso, precisava me sustentar. Portanto, permaneci dando aulas de inglês. Não posso negar, sou bom nisso. Não muito bom, mas o suficiente para receber elogios esporádicos tanto de alunos quanto colegas. Quem sabe se em algum momento eu me dedicasse à área pedagógica, pudesse crescer e construir uma carreira ali.
Porém, eu sabia que investir na área pedagógica me afastaria completamente de RI e Comex. Então nunca fiz isso ou fui para esse lado. Em certo momento de 2019, passei no edital do IBGE para o Censo 2020. Meu nome foi homologado no Diário Oficial da União. Eu estava dentro. Tinha conseguido algo diferente, além de dar aula. A frustração parecia ter acabado. Só precisava esperar março de 2020 para ser chamado. Minha namorada chorou de felicidade por mim. Eu também estava transbordando por dentro.
Aí aconteceu que... a pandemia. Todos sabem. A verba do Censo 2020 foi cortada completamente nesse ano e transferida para o segundo semestre de 2021, isso se não for postergada mais uma vez. Depois, descobri que o concurso que tinha passado era PSS e mesmo eu estando dentro, não significava que seria chamado. Nisso já era metade do primeiro semestre de 2020 e eu também não havia parado de mandar currículo para RI e Comex. Se eu conseguisse um emprego nessa área, não ficaria no IBGE (pois o cargo era temporário de apenas um ano).
Extremamente frustrado, depois de muitas e muitas (e muitas) crises de raiva, tristeza e angústia, decidi investir em alguma coisa que fosse mudar tudo. Comecei uma segunda graduação. Moro em Curitiba e diante das possibilidades de cursos que poderia fazer nessa área, optei pela que me pareceu melhor: Comércio Exterior.
Minhas aulas começaram em julho desse ano. Desde o mês sete, tenho uma única rotina: todo dia da semana eu acordo, vasculho a internet, sites especializados, grupos de WhatsApp e Telegram, em busca de empregos para a área comercial, administrativa, financeira ou até logística. Existem muitas coisas em cada um desses setores com as quais eu adoraria trabalhar. Todo dia, literalmente todo dia mesmo, eu me inscrevo em média de uma até três vagas - tipo, todo dia.
Desde julho, sou rejeitado em umas 30/40 vagas mensalmente. Entrar em uma segunda graduação de Comércio Exterior realmente ajudou: agora sou chamado para entrevistas e provas. No entanto, sempre que me perguntam se eu faço alguma coisa, se ainda trabalho, digo que tenho o trabalho temporário de instrutor de línguas. Algo que quero largar assim que conseguir outro trabalho na área que quero, ou seja, na área para a qual estou me inscrevendo.
Só que é sempre nessa parte, é sempre nesse momento que vejo claramente que sou colocado de lado. Ninguém quer contratar alguém que precisou trabalhar como professor. Algo pedagógico, muito diferente do mundo comercial. Sempre elogiam minha curiosidade por línguas, acham legal meu contato com setores administrativos e financeiros no passado, mas por terem sido trabalhos informais, ninguém se importa. Sim, estou frustrado.
Dia após dia recebo e-mails falando que não foi dessa vez. Isso quando os recebo. A maior parte das inscrições por e-mail não são respondidas. As que realizo por sites diversos, estão marcadas 90% como "Rejeitado por falta de experiência". Todos estágios. É sério. Tenho mais de 40 vagas de estágio rejeitadas por "falta de experiência". Repito novamente porque estou frustrado: estágios.
Eu não consigo um único estágio. Em nenhuma área. Todo dia sou recusado. Não importa se é RI. Setor de compras. Setor administrativo. Setor financeiro. Setor de logística. Só preciso desse primeiro emprego na área. Aposto que os demais vão vir muito mais facilmente (porque mais difícil não tem como existir).
E receber constantemente, apesar do esforço diário de mandar currículos, atualizar informações em sites (sim, tenho perfil em LinkedIn e mais outros diversos sites de emprego), apenas me lembra do meu fracasso. Não tenho perspectivas nenhuma de que vou conseguir. Nenhuma perspectiva que vou mostrar para alguém quão esforçado posso ser. Quão dedicado. Eu só preciso de uma chance para a primeira oportunidade.
Estou nessa há 3 anos. Acumulo quase 100 rejeições totais desde que comecei minha segunda graduação. Cada vez me empenho mais para tentar. Cada vez tenho menos vontade e fico pior. Menos motivado. Antes que alguém fale alguma coisa (se alguém aguentou ler esse textão de desabafo até aqui), estou sempre verificando meu currículo: como apresentar informações, tirando, colocando coisas. Já contratei profissionais de currículos que analisaram e mudaram algumas coisas. Já apresentei pra muitos profissionais colegas e da família que deram algumas sugestões e elogiaram outras coisas. É algo que estou sempre tentando melhorar, mais e mais.
Pra encerrar, existe um fator nisso tudo que aumenta ainda mais a frustração comigo mesmo, a frustração com todo esse cenário. Minha namorada trabalha na área de tecnologia. Em 2019, decidiu arranjar um estágio. Se inscreveu para três e conseguiu um deles. Agora em 2020 decidiu ir para outro, se inscreveu em uma única vaga e foi aprovada. Não tenho raiva nem dela. O que mais me afeta é a diferença da facilidade de conseguir emprego em uma área comparada à outra. Ela é minha namorada. Amo ela e estou feliz que ao menos um de nós está tendo conquistas dessa área. Mas não consigo deixar de ficar pior, o problema sou eu? Nunca vou conseguir uma vaga simplesmente por causa da minha primeira formação? Porque precisei dar aulas para me sustentar? O problema é algum outro?
Enfim, esse é o meu desabafo. Desculpem pelo tamanho do texto e obrigado se alguém chegou até aqui.
submitted by Creative_Oven_6350 to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 20:21 556778 Odeio tomar decisões. Elas sempre machucam

Hoje acabei pensando em mim. Uma ex-namorada pediu para voltar. Nosso relacionamento não era o mais saudável. Após a separação, ela e eu continuamos conversando. Ela e eu tivemos tempos melhores. Foi mais legal, foi mais divertido e mais real. No entanto, ainda estava com medo de aceitar. Eu conheço seus defeitos e sei o quão incompatíveis éramos no relacionamento. Sobre como ela não me deu a segurança que eu precisava. Além disso, estou tentando aprender sobre o amor próprio. Estou tentando me concentrar na minha vida, principalmente no lado profissional. Sinto orgulho da minha decisão, mas também fico triste. Talvez eu esteja errado, talvez ela tenha mudado? Mas o problema não era apenas a maneira como ela me tratou. Ela também tem um jeito difícil e bem fechado. Não sei se poderia ser feliz com ela. Estou cheio de dúvidas e com o coração pesado. Eu não quero que ela vá embora. Não sei o que fazer, como sentir.
E sim. Eu sinto que a amo. Eu tinha todos os motivos para sair. Mesmo assim, fiquei por perto. Mas ... é normal, não é? Você ama alguém e sente que não é para você? Mesmo que você já tenha desejado várias vezes que tudo fosse diferente e que desse certo desde o início? Sem ter que enfrentar esse momento. Quando você tem medo de dizer sim e todo o pesadelo começar novamente. Noites sem dormir, inseguranças, discussões sem sentido, ausência. A sensação de estar sozinho mesmo com alguém. As palavras que doem. Vontades unilaterais. O esforço solitário para manter o relacionamento. Fiquei feliz quando ela voltou para tentar reiniciar o relacionamento. Eu me senti menos odiado, menos mal. Mas... o medo existe.
submitted by 556778 to desabafos [link] [comments]


2020.10.12 06:00 vini_paviotti Não sei mais oque é real

Antes de tudo, eu queria poder conversar com alguém, alguém que não me julgasse, e não me conhecesse também. Bem, faz algum tempo que fui diagnosticado com ansiedade, desde criança eu tinha alguns sintomas, mas agora nos meus 18 anos isso se agravou, creio que evoluiu para um quadro de depressão, ainda não sei bem, pois ainda vou no médico, e tudo piora com as minhas experiências de vida, que vou conta algumas aqui. Já faz um tempo, eu tinha namorado uma garota, ela tinha vários problemas também, e um deles era anorexia, eu tentei de tudo para ajudar, e ela obteve uma melhora, mas depois de tantas brigas, e discussões, a gente optou por terminar, isso me desgastou demais, enfim, cada um foi pro seu canto. A pouco tempo, conheci outra garota por um amigo meu, que havia ficado com ela, quando a gente começou a se falar eles já não se falavam mais, e bem, posso dizer pra vocês, no início, quando estávamos ficando eu não queria nada sério, porém, ela sim queria, e no fim eu acabei namorando com ela, acabei gostando muito dela, pode se dizer, que eu comecei a amar de verdade, mas eu, mais uma vez, fiz merda, e terminamos pelo mesmo motivo, pois sou uma pessoa triste, e paranóica demais, eu acho que sempre estão contra mim, ou que estão me traindo, mesmo que eu não tenha motivo nenhum para acreditar nisso, enfim, ela terminou comigo perto do meu aniversário, no início não doeu tanto, mas depois, acabei ficando muito mal, por conta de mentiras que falaram pra mim sobre ela, acabei ficando muito mal, até que resolvi esclarecer tudo um dia, que era justamente o dia do meu aniversário, e de longe foi o meu pior dia, ela me ligou e meus amigos estavam todos preocupados, pois nesse dia, eu tentei me matar, engoli muitos remédios, por sorte ou azar, eles não eram tão nocivos assim, só senti muito sono, quando eu voltei do hospital, todos, inclusive ela, tinham me mandado várias mensagens, nesse dia eu não parava de chorar. Desde então, eu e ela nos falamos as vezes, e hoje em especial, eu tava muito mal, e resolvi mandar uma mensagem pra ela, ela disse que queria conversar comigo também, disse que se eu sentisse no meu coração, eu e ela podíamos se falar pessoalmente, ela disse que não sabia quando, mas teria que ser em uma sexta, a mãe dela antes não queria que a gente se falasse quando terminamos, mas agora, ela disse que eu e ela poderíamos conversar pessoalmente, eu falei coisas muito rudes pra essa garota, mas cara, eu sinto de verdade que eu gosto dela, só não sei se ela gosta de mim ainda, ela disse que quer falar comigo pessoalmente, só não sabe quando, pois segundo ela, temos que esperar a poeira abaixar, ela fala que gosta de mim aínda, e que nos podíamos até retomar o relacionamento, mas eu não sei, pois todas as pessoas a minha volta eu não consigo confiar, cada um conta a sua versão, sobre mim, sobre ela, enfim, esqueci de mencionar, mas eu tenho vários vícios, drogas, pornografia, e por aí vai, e isso tá acabando comigo, eu não sei mais oque é real, e oque não é, estou confuso, eu essa garota iremos fazer uma chamada terça, eu disse para ela me chamar, vou esperar dela isso, mesmo se por ventura ela ligar pra mim, eu não sei se eu devo encontrar com ela novamente, ela disse que iria me ouvir, e se eu me tratasse, e buscasse ajuda, eu e ela podíamos reatar, eu não quero me alimentar com falsas esperanças, mas eu ainda amo muito ela, e não sei se devemos ter essa conversa mesmo, minha cabeça tá uma confusão, eu não sei mais em quem acreditar, não vejo mais motivos para estar aqui, eu de verdade, tô muito mal. Desculpa pelos erros de português, e perdão se ficou meio confuso, afinal, a minha mente tá uma confusão...
submitted by vini_paviotti to desabafos [link] [comments]


2020.10.08 16:47 lozy_ae Como eu sei que não amo mais?

Eu estou pensativa a meses não sabendo exatamente o que fazer quanto a isso, eu namoro a quase 2 anos, meu namorado é bom, me trata bem cuida de mim e acho que não faz nada de errado. Mas a coisas que no passado quando nós nos conhecemos e coisas durante nosso namoro que eu não consigo esquecer, me marcaram muito e eu não consigo confiar nele e nem fazer certas coisas com ele pois eu simplesmente travo, eu sei que você não pode ficar olhando muito o passado pq o passado já foi mas acho que eu não consigo viver com isso ou me casar com esse sentimento dentro de mim.
Eu não sei se ainda o amo ou se estou confortável tentando esquecer de vez enquando esses sentimentos e pensamentos mas é algo que eu sei que nunca vou esquecer e nunca perdoa-lo. Eu comecei a namorar muito nova e eu nunca tive um relacionamento mais adulto, e agora que eu já sou adulta eu não me sinto em um relacionamento assim, por ele morar em outra cidade eu não consigo ver ele sempre e eu me sinto muito incomodada pedindo favores para meus pais de ir lá ver ele ou de levar ele de volta (meus pais não deixam eu dirigir na pista e meu namorado não tem carro pra vir), e nesses tempos de pandemia é pior ainda pq não tem nem ônibus pra ele vir. Meus pais são uns anjos eles nunca reclamam nem nada do tipo mas isso não é coisa que eles tem de fazer por mim e eu também não sei se quero mais passar por isso.
Tenho esses pensamentos sempre que vejo filmes ou leio coisas com temas românticos, sei que a vida não é um conto de fadas mas eu quero ser feliz, eu não quero viver com medo de ser traída e eu quero conseguir ter relações sexuais com a pessoa que eu amo e o maior eu quero confiar em alguém sei que não são todas as pessoas que são confiáveis e não podemos confiar 100% mas eu não quero viver de desconfiança, quero poder olhar pra pessoa e sentir que temos mais que amor..
Sei que eu posso parecer estúpida sendo que tenho um namorado bom comigo e que posso ficar tranquila mas não é assim, está sendo muito difícil e eu não sei o que fazer, estou pensando pq não quero me arrepender, não sei se tem um conselho óbvio ou uma atitude óbvia mas pra mim tá um labirinto que eu não sei como sair sem me machucar ou machucar o outro.
Obrigado quem leu esse textao :)
submitted by lozy_ae to desabafos [link] [comments]


2020.09.26 07:58 SpaceshipFive Mds ser bissexual é mto confuso aaaaaaaa

Eu finalmente entendi que sinto atração por ambos os sexos. Compreendi certos comportamentos que tinha durante a adolescência e infância quando me deparava com nudez feminina, demonstração de afeto entre garotas, etc. Claro que devido à forte repressão, nunca cheguei a desenvolver sentimentos ou romance com alguém do mesmo sexo. A paquera era limitada aos meninos e consequentemente os relacionamentos.
Atualmente estou num namoro de dois anos com um rapaz que amo muito, ele me aceitou e me acolheu quando comentei sobre a minha atração por mulheres e tem me apoiado muito. Mas ainda é péssima a sensação de saber que você limitou tanto suas vontades a ponto de não ter tido nenhuma experiência "profunda". Beijei uma menina uma vez, sem compromisso, só vontade.
Muita pouca gente sabe disso. Por enquanto, só falei pro meu namorado, uma amiga (que é bissexual e entende muito de todo o conflito interno que sinto) e minha psicóloga. Mas gostaria de um dia poder me manifestar, sabe? Dias atrás foi dia do orgulho bi e eu não pude fazer nada. Eu sinto que nunca vou conseguir dizer "sou bissexual" e se um dia isso acontecer, ninguém vai acreditar em mim e não vou ser levada à sério.
Eu não vou terminar meu relacionamento saudável só pra me envolver com garotas e provar minha bissexualidade. Não quero de jeito nenhum isso. Mas é tão estranho saber que eu sinto tesão e por alguém do mesmo sexo sem nunca ter tido nada muito profundo.
Mais estranha ainda é essa sensação de que provavelmente nunca vou ter essa experiência de me envolver com uma garota e finalmente dar vazão a essa vontade.
Faz sentido?
submitted by SpaceshipFive to arco_iris [link] [comments]